Pular para o conteúdo principal

SAINDO DA ZONA DE CONFORTO II


   Vamos voltar a falar da zona de conforto? Vocês lembram que falei o quanto é importante termos a disposição de sairmos da zona de conforto se quisermos crescer ou mudarmos a nossa vida significativamente. Vamos continuar falando disto mais um pouco, pois este assunto da pano pra manga! Rs

   É natural do ser humano buscar conforto e comodidade. Mas se pararmos para pensar bem, veremos que isto é verdade até um certo ponto, pois se não, corremos o risco de estagnarmos e vivermos num marasmo tedioso. Você pode chegar e me dizer: "não corro esse risco, pois trabalho muito e não tem como minha vida ficar tediosa". Sim, concordo. Tédio não existirá, mas comodismo e hábito sim, e isto ao longo de muito tempo pode não ser bom. 

Eu pergunto para você: nesta sua rotina estafante você abre espaço para se divertir, para ter prazer? Não vale um programinha de TV antes de dormir. Isto serve para relaxar, não realmente para te satisfazer. Quem sabe se você não fosse fazer aquela aula de dança que tanto lhe dava prazer? Não seria mais gratificante? Ou quem sabe aquele curso de pintura ou um chopinho no bar com os amigos? É claro que cada pessoa é única e o que é prazeroso para uma, pode não ser para outra. Com isto eu digo que o mais importante para você é saber, de fato, se já está na hora de largar a zona de conforto. "Como vou saber?" Simples. Faça as seguintes perguntas para você mesmo: Eu estou feliz? Estou me sentindo bem? Me sinto leve, interessado pela vida? Se a resposta a todas estas questões forem positivas, perfeito, você está crescendo. Mas se não, se há alguma insatisfação, alguma inquietação, se você sente alguma frustração, está na hora de criar coragem e procurar uma mudança significativa na sua vida. Como você irá fazer isto é com você, mas uma coisa é certa: você terá que sair da zona de conforto.

   O desconhecido gera desconforto, isto é natural. É importante que você saiba disso. Mas para mudar, para resolver questões internas ou mesmo externas - já que o externo é reflexo do nosso interior- precisamos olhar para a  frente, para o novo, e o novo é desconhecido. Dá aquele friozinho na barriga e a vontade de se agarrar aos velhos hábitos, conceitos, padrões e ao que dá segurança. Não nos permitimos  sair da zona de conforto. Então, sinto comunicar,  não alcançaremos mudança nenhuma, não cresceremos, nem evoluiremos. Por exemplo, quantas pessoas você conhece que fazem terapia há anos e suas vidas continuam da mesma maneira? Essas pessoas não conseguem sair da zona de conforto e dar o pulo do gato. E é por isto que eu, pessoalmente, prefiro terapias mais dinâmicas que trabalham com o comportamento das pessoas de uma forma mais prática, do que as terapias puramente analíticas.

   A maioria das pessoas espera sentir a vontade, o ímpeto, de mudar seu comportamento para, então, colocar tudo em prática. Mas isto não funciona. Tem uma hora que precisamos fazer um esforço. Você não pode esperar as coisas acontecerem espontaneamente porque isso não vai acontecer nunca se não tiver um empurrão consciente da sua parte. Você precisa colocar a mudança em andamento, na prática, no seu comportamento. E quanto mais você for fazendo isto, mais fácil se tornará, e chegará um dia em que acontecerá automaticamente. Lembra que falei que tudo é uma questão de hábito? Um dia assisti a um programa de TV no qual um salva-vidas que fazia resgate no mar, de helicóptero, falou algo que ilustra bem o que digo. Foi perguntado a ele se ele não tinha medo. Ele então respondeu que no início sim, mas que de tanto fazer aquilo passou a se acostumar, passou a ser conhecido. E ele mesmo afirmou: "Se tornou conhecido e quando se torna conhecido você perde o medo, o desconforto." 

   A vida é assim, gente! Queremos crescer, queremos mudar? Temos que ousar, temos que largar a segurança, temos que sair da zona de conforto. Quando nos acostumamos já está na hora de dar o outro salto, está na hora de mudar, de desacostumar, de encarar o novo, de encarar mais um desafio, de se superar!

Por Anna Leão (favor mencionar a fonte e autoria ao reproduzir este texto).




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BRUXAS E FADAS - QUEM É QUEM?

Minha filha mais nova chegou para mim dizendo que a amiga não acreditava em bruxa boa, que bruxa boa era fada. Ledo engano.
Está certo que a menina fala inspirada nos contos de fadas e tudo o que há por aí sobre o assunto a nível de fantasia. Mas me pergunto, e Harry Potter?
Isto mostra como as crenças (olha elas aí de novo!) são muito fortes e difíceis de serem mudadas de uma hora para a outra. Criamos imagens de certas coisas que ficam enraizadas em nossa psique e na psique coletiva, mesmo que erradas.
Para começar, bruxas e fadas existem. Só que a maioria das pessoas tem uma imagem completamente equivocada de ambas. Existe muito preconceito, má informação e deturpações.
Vamos por parte. Começo pelas fadas. Elas são seres elementais. O que é isto?
Bem, existem quatro elementos básicos da criação, a saber: Terra, Ar, Fogo, Água. Os elementais são seres habitantes destes elementos. Seus nomes, atribuições, características e funções são de acordo com o elemento a que pertencem.
Os reinos ele…

Perséfone - Deusa da Primavera e Rainha do Submundo

De Metamorfose

A princípio pode parecer estranho que a Deusa Perséfone tenha como atributos a Primavera e o Submundo, mas não podemos esquecer que da morte advem a vida e o mito desta Deusa explica isto muito bem.

Filha de Zeus e Deméter, esta jovem Deusa grega, enquanto colhia flores, é raptada por Hades, o Deus do Mundo Subterrâneo.

Jacinto foi a flor que seduziu Perséfone atraindo-a ao local onde a terra se abriu, surgindo Hades em sua carruagem dourada, puxada por cavalos imortais.

Contra a sua vontade Perséfone foi levada ao Submundo. Seus gritos não foram ouvidos por nenhum Deus ou mortal, exceto pela Deusa Hécate que os ouviu de sua caverna.

Deméter, Deusa da colheita, da fertilidade e dos grãos, ao perceber o sumisso de sua filha sai a sua procura. Muito triste e lamentosa, sua luz e alegria vão se extinguindo dando lugar a sua ira, o que provoca a seca e o frio na Terra.

Finalmente ao saber por Hécate o paradeiro de Perséfone, Deméter vai até Zeus pedindo que ele interceda junto a …

O CHAKRA ESPLÊNICO - O SEGUNDO CHAKRA

De Metamorfose

Continuando a falar sobre os chakras...

Chakra Esplênico é o nome do segundo chakra que se localiza no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo.

Seu nome em sânscrito é Svadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol", segundo outros,"morada própria". Ele também recebe os nomes de Chakra do Hara, Chakra Sagrado e Chacra do Sacro.

A função básica do segundo chakra é filtrar e distribuir a energia vital. Ele também é responsável pela sexualidade - tanto por sua energia, quanto pelo prazer que ela proporciona – pela criatividade, pela reprodução e pelos relacionamentos, quaqlquer tipo, inclusive o relacionamento com o mundo físico.

O chakra esplênico é o chakra das emoções. Diane Stein em seu livro As Sacerdotisas, coloca este chakra relacionado ao corpo emocional e à projeção astral, conhecida também como viagem astral. Isto fica fácil de entender pois é este chakra que liga o corpo físico à alma.

É o chakra do movimento, da expanção. Reg…