Pular para o conteúdo principal

BRUXAS E FADAS - QUEM É QUEM?



Minha filha mais nova chegou para mim dizendo que a amiga não acreditava em bruxa boa, que bruxa boa era fada. Ledo engano.

Está certo que a menina fala inspirada nos contos de fadas e tudo o que há por aí sobre o assunto a nível de fantasia. Mas me pergunto, e Harry Potter?

Isto mostra como as crenças (olha elas aí de novo!) são muito fortes e difíceis de serem mudadas de uma hora para a outra. Criamos imagens de certas coisas que ficam enraizadas em nossa psique e na psique coletiva, mesmo que erradas.

Para começar, bruxas e fadas existem. Só que a maioria das pessoas tem uma imagem completamente equivocada de ambas. Existe muito preconceito, má informação e deturpações.

Vamos por parte. Começo pelas fadas. Elas são seres elementais. O que é isto?

Bem, existem quatro elementos básicos da criação, a saber: Terra, Ar, Fogo, Água. Os elementais são seres habitantes destes elementos. Seus nomes, atribuições, características e funções são de acordo com o elemento a que pertencem.

Os reinos elementais são regidos pelas leis da Natureza. Chamados também de espíritos da natureza, os elementais possuem também a função de assegurar a manutenção e o equilíbrio do Planeta.

As fadas são os elementais do Ar, assim como os silfos.


Entretanto, para os povos celtas, as fadas eram mais que elementais. Havia o Povo da Fadas ,conhecido também como Povo Nobre, composto de seres sobrenaturais e divinos. Alguns Deuses celtas são conhecidos também como fadas, como, por exemplo,  Morrighan - A Grande Rainha - que também é uma feiticeira. De qualquer forma, não existia na cultura celta o maniqueísmo emburrecedor e limitante de que o que é bom é só bom e do que é mau é só mau.





Bruxas e bruxos são pessoas. Seres humanos que se utilizam da magia, que conhecem e lidam com as forças mágicas da Natureza, da qual os quatro elementos e seus elementais fazem parte.

A bruxa conhece magia, conhece as leis da Natureza e sabe utilizá-las. Então ela pode se utilizar de uma fada, por exemplo. Eu pessoalmente não gosto da magia que domina os elementais à força. Prefiro a magia que pede ajuda aos elementais, que os convida para seus trabalhos. Geralmente quem trabalha ligado à essência do Sagrado Feminino trabalha deste modo. A imposição é algo muito patriarcal e, ao meu ver, desnecessária. Acho que ela só serve para enaltecer o ego do praticante.

Voltando às deturpações, a crença de que as bruxas são más, cultuam demônios e etc, vem de quem as condenou: o patriarcado, a Igreja e a classe médica. Estas duas últimas na época da Inquisição; pois a condenação da mulher e seus poderes pelo patriarcado ainda é mais antiga - e não esqueçamos que a Mãe Natureza é feminina.


Mas o grande massacre e desequilíbrio aconteceu mesmo na Idade Média. Muitas mulheres trabalhavam com as ervas curadoras e eram parteiras. A classe médica as via como uma grande concorrência e juntando-se à Igreja - que abominava o poder feminino e a sexualidade - a Inquisição foi instalada. Daí para deturparem as coisas e inventarem outras não custou muito.




Muitas dessas mulheres que trabalhavam com a cura e o parto já eram idosas, verdadeiras Mulheres Sábias, aquelas que retratavam a Sabedoria e o Poder da Deusa Anciã. Daí veio a imagem da bruxa velha e feia. Porém, havia também muita moça jovem e bonita que era queimada ou enforcada apenas por sua beleza, que era vista como coisa do diabo - um ser que as bruxas não conhecem, mas que a Igreja conhece muito bem, pois foi ela quem o criou.

Bom, então agora com mais conhecimento podemos perceber que uma bruxa não pode ser uma fada, nem vice-versa, a não ser na fantasia, aí é outra história...

Tudo isto é tão forte que faz-me lembrar da época da novela da Globo, Eterna Magia. A ideia original da autora era mostrar corretamente quem eram as bruxas. Mas devido à ignorância das pessoas que afetadas pelo preconceito escreviam cartas pedindo que trocassem a nomenclatura de bruxas para fadas, a autora infelizmente não conseguiu desmistificar a imagem de bruxa e sua história ganhou outro rumo.

Nessas horas que vejo como é bom ter o meu blog e poder falar nele tudo o que quiser e sobre o que acredito sem ter que me submeter a pressões de "superiores". É aquela coisa, tudo tem seu lado positivo... E negativo... Do jeito que eu sou, acho que eu teria largado a novela no meio. Bom, dizem que os idealistas sofrem (olha mais um crença aí!), mas acho que nunca vou deixar de ser uma...

Exatamente por causa desse idealismo, só queria deixar mais uma coisa bem clara: Por que fazer magia?

A resposta é curta e está numa passagem do meu livro A RAINHA DA FLORESTA.

Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este artigo).

Comentários

Anna, adorei a aula e fiz um post indicando o seu, com o título "Os céticos que me perdoem, mas eu acredito nos celtas". Bjs!!!
ANNA LEÃO disse…
Que bom Carminha, obrigada!!!
Mas é aquela coisa, muita gente é cética, porque não tem o conhecimento. É isto que gera o preconceito, falta de conhecimento.

Um beijo grande,
Anna.
Théssica Bruna disse…
Boa noite querida...
ñ sei se vc posta seu blog com frequencia ou se responde os comentarios...
Sou Théssica Bruna e queria parabenizala por sua força interior q te ilumina para fazer este trabalho tão bonito!!!!
Parabéns.


thessika.bruna@hotmail.com
Anna Leão disse…
OI Théssica!
Muito obrigada por suas palavras!
Eu continuo com o blog ativo, mas agora posto os textos na íntegra no site www.annaleao.com.br.
Espero vc por lá!
Bjs,
Anna
Anônimo disse…
Anna, estou pesquisando para um livro infanto juvenil e vc me ajudou bastante sobr fadas e bruxas.Verdade,agora nós bruxas e fadas do poder feminino podemos ter nossos b logs sem p perigo de torrarmos numa fogueira.
grande abraço

Nilza Amaral
Anna Leão disse…
É isto mesmo, Nilza!
Tb escrevo infanto juvenil!
Sucesso com seu livro!

Um abraço,
Anna
giseli disse…
nola! gostaria muito te estudar mas sobre esse assunto amo as bruxas! mas confeso que eu tinha receio de falar com meus amigos sobre o meu interece pelas bruxas pois infelismente a muito preconceito! sou espirita e agora tenho mas liberdade de esclarecer duvidas com vcs! um abraço fraterno!!!
Anna Leão disse…
Giseli, realmente há muito preconceito, principalmente pela falta de informação. Mas seja bem vinda e fique à vontade para perguntar.
Um abraço!
Anna Leão disse…
Giseli, realmente há muito preconceito, principalmente pela falta de informação. Mas seja bem vinda e fique à vontade para perguntar.
Um abraço!
Anônimo disse…
sério? eu pensei que bruxos/as eram seres sobrenaturais, não seres humanos.isso significa que ser bruxa é um condição humana e não tem a ver com espécies de criaturas.
Anna Leão disse…
Sim, é como expliquei acima. São seres normais que desenvolvem seus dons paranormais e trabalham com a magia natural.

Postagens mais visitadas deste blog

Perséfone - Deusa da Primavera e Rainha do Submundo

De Metamorfose

A princípio pode parecer estranho que a Deusa Perséfone tenha como atributos a Primavera e o Submundo, mas não podemos esquecer que da morte advem a vida e o mito desta Deusa explica isto muito bem.

Filha de Zeus e Deméter, esta jovem Deusa grega, enquanto colhia flores, é raptada por Hades, o Deus do Mundo Subterrâneo.

Jacinto foi a flor que seduziu Perséfone atraindo-a ao local onde a terra se abriu, surgindo Hades em sua carruagem dourada, puxada por cavalos imortais.

Contra a sua vontade Perséfone foi levada ao Submundo. Seus gritos não foram ouvidos por nenhum Deus ou mortal, exceto pela Deusa Hécate que os ouviu de sua caverna.

Deméter, Deusa da colheita, da fertilidade e dos grãos, ao perceber o sumisso de sua filha sai a sua procura. Muito triste e lamentosa, sua luz e alegria vão se extinguindo dando lugar a sua ira, o que provoca a seca e o frio na Terra.

Finalmente ao saber por Hécate o paradeiro de Perséfone, Deméter vai até Zeus pedindo que ele interceda junto a …

O CHAKRA ESPLÊNICO - O SEGUNDO CHAKRA

De Metamorfose

Continuando a falar sobre os chakras...

Chakra Esplênico é o nome do segundo chakra que se localiza no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo.

Seu nome em sânscrito é Svadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol", segundo outros,"morada própria". Ele também recebe os nomes de Chakra do Hara, Chakra Sagrado e Chacra do Sacro.

A função básica do segundo chakra é filtrar e distribuir a energia vital. Ele também é responsável pela sexualidade - tanto por sua energia, quanto pelo prazer que ela proporciona – pela criatividade, pela reprodução e pelos relacionamentos, quaqlquer tipo, inclusive o relacionamento com o mundo físico.

O chakra esplênico é o chakra das emoções. Diane Stein em seu livro As Sacerdotisas, coloca este chakra relacionado ao corpo emocional e à projeção astral, conhecida também como viagem astral. Isto fica fácil de entender pois é este chakra que liga o corpo físico à alma.

É o chakra do movimento, da expanção. Reg…