Pular para o conteúdo principal

Menstruação - Tempo de Recolhimento.

De Metamorfose





A menstruação é um momento de regeneração e de purificação. A mulher está mais sensível, introspectiva e vulnerável. Está também, exatamente por tudo isto, mais apta ao autoconhecimento e mais próxima de sua força interior.

É de vital importância que neste período a mulher se dê tempo e espaço. Isto é importante para a sua saúde física e psíquica e também energética. É um tempo que exige mais contato consigo mesma.

A tão falada TPM é consequência desta falta de respeito com o próprio corpo, com os próprios hormônios, com o próprio ser. A mulher tem a necessidade de mais calma, de mais aconchego, de sossego na época de sua menstruação. Como ela não se proporciona isto, ela fica irritada, nervosa. O corpo que é extremamente sábio registra esta agressão e no mês seguinte pouco antes da menstruação, a mulher inconscientemente começa a se "armar" para o conflito que viverá: entre a sua necessidade intrínseca de quietude e a agitação constante de sua vida. Daí todos os sintomas da TPM.

Passar por todos os processo cíclicos de ser mulher é algo riquíssimo, desde que todo o ciclo seja respeitado. É daí que vem todo o poder criativo da mulher, que é inigualável. E esta criatividade precisa ser vivenciada de uma forma ou de outra, mesmo que se trabalhe com mercado financeiro, por exemplo. A mulher precisa encontrar tempo e espaço para exercer essa sua criatividade, se não, ela se castra. 

Nossas ancestrais sabiam se respeitar. Nas sociedades não patriarcais, nas tribos indígenas também havia este respeito a este tempo da mulher - e à mulher, diga-se de passagem. Na cultura Xamânica, a Tenda da Lua era um lugar onde as mulheres se encontravam neste período dividindo conhecimentos e conforto.

Neste mundo patriarcal e competitivo em que vivemos, a mulher não se permite a isto. O que vemos são propagandas de absorventes incutindo na mulher a necessidade de não perder tempo, de estar sempre ativa. Mas o que esperar de uma sociedade patriarcal?

É aqui que entra uma grande questão, já levantada aqui por mim, neste meu espaço. A mulher para ter as mesmas oportunidades e os mesmos direitos do homem tem que se submeter a um modelo de vida patriarcal, racional e linear. Isto é, ela tem que se submeter ao masculino. Defendo isto? Claro que não!

E será que ela precisa ter mesmo os mesmos direitos e DEVERES que o homem, ou seria melhor cada macaco no seu galho? Algo para pensarmos...

A mulher não é igual ao homem. Não existe melhor nem pior. Agora, existem características únicas que devem ser respeitadas e valorizadas. Mas o que fazer então numa sociedade capitalista e patriarcal?

Há muito tempo uma amiga me disse que há uma lei que dá três dias de folga para a mulher, no emprego, em seu período menstrual, que a mulher tem este direito por lei. Não sei se ainda existe esta lei. Perfeita! Mas infelizmente não funciona, porque para a mulher ter a mesma oportunidade de trabalho do homem ela infelizmente tem que se comportar como tal. É por isto que repito que não houve muito avanço, que de fato não houve uma conquista legítima da mulher, ou melhor, do feminino. Ela teve que suprimir a sua feminilidade, nesta questão e em muitas outras.

Que empregador vai querer empregar mulher se além das folgas mensais ela terá mais três por mês, de acordo com o seu ciclo menstrual? Então, ninguém se utiliza desta lei.

Tudo isto é algo para refletirmos profundamente. Em minhas reflexões, não só por conta disto, mas por muito mais a cerca da questão do feminino - e prefiro falar feminino que mulher, pois assim me aprofundo mais na essência - percebo que o que é necessário é uma mudança que venha lá da base. Uma mudança de visão, uma mudança estrutural para podermos sair de um mundo tão consumista, capitalista que são reflexos de um mundo dominado pelo masculino, de uma sociedade tão patriarcal.

Eu tento fazer a minha parte e manter uma coerência entre minhas ações e o que falo. E você? Já parou pelo menos para pensar sobre a verdadeira conquista e valorização do feminino?

Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este artigo).


Comentários

Oi, Anna!

Esse tempo de recolhimento é algo mais do que natural, mesmo que às vezes seja meio incômodo. E que bom seria se os homens também percebecem essas variações, a TPM com certeza seria menos temida... rsrsrs

Beijos, minha linda!

)O( Rowena
Anna Leão disse…
Rowena querida,

Pois é, e as pessoas tão longe do natural...Aliás, meio veio agora, compreender as mulheres é fácil para quem tem intimidade com a Natureza!

Um beijo muito grande,

Anna
Alins Machado disse…
Anna, as sociedades patriarcais defendem o descanso da mulher. Inclusive defendem que ela crie os filhos e seja plena e Feliz na insubstituível tarefa de mãe. Mas o movimento político/ideológico feminismo desgraçou a vida da mulher na sociedade contemporânea. Fez com que pensassem que devem ser iguais aos homens, que devem ter uma carreira, adiar filhos, (agora a luta atual é que os filhos não sejam gerados em suas barrigas pois isso as "prejudica profissionalmente"). O feminismo prometeu liberdade e aprisionou a mulher em regime de escravidão. O homem também falhou em seu papel de provedor. A tarefa do homem na sociedade é morrer pela mulher (literalmente e figuradamente).

Postagens mais visitadas deste blog

BRUXAS E FADAS - QUEM É QUEM?

Minha filha mais nova chegou para mim dizendo que a amiga não acreditava em bruxa boa, que bruxa boa era fada. Ledo engano.
Está certo que a menina fala inspirada nos contos de fadas e tudo o que há por aí sobre o assunto a nível de fantasia. Mas me pergunto, e Harry Potter?
Isto mostra como as crenças (olha elas aí de novo!) são muito fortes e difíceis de serem mudadas de uma hora para a outra. Criamos imagens de certas coisas que ficam enraizadas em nossa psique e na psique coletiva, mesmo que erradas.
Para começar, bruxas e fadas existem. Só que a maioria das pessoas tem uma imagem completamente equivocada de ambas. Existe muito preconceito, má informação e deturpações.
Vamos por parte. Começo pelas fadas. Elas são seres elementais. O que é isto?
Bem, existem quatro elementos básicos da criação, a saber: Terra, Ar, Fogo, Água. Os elementais são seres habitantes destes elementos. Seus nomes, atribuições, características e funções são de acordo com o elemento a que pertencem.
Os reinos ele…

Perséfone - Deusa da Primavera e Rainha do Submundo

De Metamorfose

A princípio pode parecer estranho que a Deusa Perséfone tenha como atributos a Primavera e o Submundo, mas não podemos esquecer que da morte advem a vida e o mito desta Deusa explica isto muito bem.

Filha de Zeus e Deméter, esta jovem Deusa grega, enquanto colhia flores, é raptada por Hades, o Deus do Mundo Subterrâneo.

Jacinto foi a flor que seduziu Perséfone atraindo-a ao local onde a terra se abriu, surgindo Hades em sua carruagem dourada, puxada por cavalos imortais.

Contra a sua vontade Perséfone foi levada ao Submundo. Seus gritos não foram ouvidos por nenhum Deus ou mortal, exceto pela Deusa Hécate que os ouviu de sua caverna.

Deméter, Deusa da colheita, da fertilidade e dos grãos, ao perceber o sumisso de sua filha sai a sua procura. Muito triste e lamentosa, sua luz e alegria vão se extinguindo dando lugar a sua ira, o que provoca a seca e o frio na Terra.

Finalmente ao saber por Hécate o paradeiro de Perséfone, Deméter vai até Zeus pedindo que ele interceda junto a …

O CHAKRA ESPLÊNICO - O SEGUNDO CHAKRA

De Metamorfose

Continuando a falar sobre os chakras...

Chakra Esplênico é o nome do segundo chakra que se localiza no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo.

Seu nome em sânscrito é Svadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol", segundo outros,"morada própria". Ele também recebe os nomes de Chakra do Hara, Chakra Sagrado e Chacra do Sacro.

A função básica do segundo chakra é filtrar e distribuir a energia vital. Ele também é responsável pela sexualidade - tanto por sua energia, quanto pelo prazer que ela proporciona – pela criatividade, pela reprodução e pelos relacionamentos, quaqlquer tipo, inclusive o relacionamento com o mundo físico.

O chakra esplênico é o chakra das emoções. Diane Stein em seu livro As Sacerdotisas, coloca este chakra relacionado ao corpo emocional e à projeção astral, conhecida também como viagem astral. Isto fica fácil de entender pois é este chakra que liga o corpo físico à alma.

É o chakra do movimento, da expanção. Reg…