Pular para o conteúdo principal

Crenças e Padrões Prejudiciais as Nossas Vidas

De Metamorfose



Já falei algumas vezes aqui no METAMORFOSE sobre crenças e padrões prejudiciais a nossa vida.

Hoje vou me ater às crenças que vão entrando em nossa psique desde tenra idade e ajudando a nos sentirmos incapazes e principalmente não merecedores da felicidade.

Vivemos num mundo permeado de crenças judaico-cristãs que cultuam a culpa e o sofrimento. É como se ninguém tivesse o direito de ser feliz. Pois eu digo, não temos só o direito como temos o dever de sermos felizes.

É muito fácil dominar as massas incutindo sentimentos de culpa e fazendo apologia ao sofrimento como fizeram (e ainda fazem) as religiões patriarcais, principalmente quando eram aliadas aos governos. É só voltarmos na história e nos lembrarmos de épocas em que a religião tinha uma força política enorme, e mandava e desmandava.

No meu caminho espiritual onde a Deusa é criadora, provedora e nutridora de tudo, onde a Natureza e o planeta são de grande importância e valorizados, a prosperidade e a felicidade são vistas como algo natural para cada Ser, pois vemos a vida como uma bênção, e não como um fardo. Vemos o fato de estarmos encarnados como uma dádiva e temos que honrar esta dádiva simplesmente sendo felizes e agradecendo esta felicidade.

Mas você não precisa seguir o mesmo caminho espiritual que o meu para perceber que é merecedor da felicidade e se livrar do peso da culpa e do sofrimento impostos.

Até mesmo eu sofro com estas crenças arraigadas, pois elas estão enraizadas no inconsciente coletivo, na cultura e na sociedade. Então só um trabalho individual e constante, além de atento, pode mudar este padrão interno tão condicionado por tais crenças. Até porque, o tempo todo as estamos ouvindo. Ou já a ouvimos o bastante quando crianças, época em que nossa personalidade está sendo formada.

Vou contar uma história para exemplificar bem o que estou dizendo. Há uma moça que vende roupas na rua ao lado de minha casa. Por uma época ela sumiu. Alguns meses depois lá estava ela novamente com sua barraquinha. Perguntei a ela o que havia acontecido e ela me disse que havia participado de uma feira permanente num ótimo lugar e que já estava ficando famosa por suas roupas e que nunca havia vendido tanto, inclusive para artistas conhecidos.

Perguntei à moça porque ela havia voltado e ela respondeu que o responsável pelo lugar quis renovar o contrato com ela, mas que ela achou que não devia. Perguntei porque ela achou isto, já que não havia nada de ruim no contrato, muito pelo contrário, e ela simplesmente não soube responder.

Depois, a vendedora se mostrou arrependida por não ter aceito a proposta , dizendo que além de tudo perdera suas clientes da rua, já que havia sumido por um bom tempo. Começou então a culpar os outros, dizendo a clássica frase que todos preferem dizer em vez de reconhecer suas próprias autossabotagens, “foi muito olho-gordo que colocaram em mim”.

Eu não pude ouvir aquela frase sem dizer nada e tentei em vão explicar à moça que talvez ela que não se achasse merecedora de ter sucesso e mais dinheiro e que desacostumada com isto ela se viu voltando para o antigo padrão. Ela não entendeu, e por mais que eu explicasse o que eu achava, parecia que eu estava falando coisa de outro mundo. E foi triste perceber que o autoconhecimento infelizmente é para poucos e que parece muito mais fácil culpar os outros por nossos infortúnios. Claro, porque sempre tem que haver um culpado nesta sociedade que cultua a culpa.


De Metamorfose



Bom, há algum tempo quando fazia um curso dentro da espiritualidade feminina, eu recebi um material que falava exatamente dos nossos medos ou desejos ocultos (e os dois na maioria das vezes estão ligados) de autopunição. Esta autopunição tem a ver exatamente com a questão da culpa e das crenças negativas enraizadas.

Havia uma lista de frases que são ditas por todos e que ouvimos muito quando crianças. Trabalhamos muito estas frases e coloco algumas delas aqui, com seus significados ocultos entre parênteses, isto mostrando o que a frase realmente quer dizer, o que se absorve dela e se padroniza para a nossa vida.

Você irá reconhecer muitas destas frases e perceber como são perigosas e destruidoras. Você irá perceber como não é bom ficar repetindo-as, isto é, “mantrando-as”, nem para você, nem para o outro. Pois muitas destas frases foram ditas para nós milhares de vezes (principalmente na infância, portanto cuidado com o que você diz para seu filho/filha), e nós, querendo ou não, a compramos.

Muito problema relacionado à autoestima pode vir destas frases repetidamente ouvidas na infância. Não esqueça: as palavras têm poder. Perceba o que você diz, filtre o que você ouve. Seguem as maléficas frases:

- A vida é um sofrimento. (É impossível ter prazer)

- A vida é uma luta. (Para conseguir algo tem que ser com muito esforço)

- As mulheres sempre se danam. (Nascer mulher é um castigo)

- Cuidado que Deus castiga. (Vivo esperando ser castigado)

- Você nunca faz nada direito. (Sou incompetente)

- Deixe que eu faço, você não sabe. (Os outros são melhores do que eu)

- Está lindo, mas foi você mesmo quem fez? (Não sou capaz)

- Macho não chora. (Tenho que ser duro e não sentir)

-Não existe prazer sem dor. (Não quero o prazer para não viver a dor / vive o prazer através da dor)

- Não se pode ter tudo. (Tenho que me conformar com o pouco que tenho / não merço a felicidade completa)

- Ninguém vai querer se casar com você. (Estou condenado a viver só)

- Não se arrisque. (Não ouso na vida)

- Quem tudo quer tudo perde. (Não posso desejar mais)

- Rico não entra no Céu. (Tenho que ser pobre)

- Você é igual ao seu pai/sua mãe. (Tenho que repetir a história deles)

- Você só me causa sofrimento. (Sou má)


Para nos curarmos destas programações podemos trocar estas frases pelas seguintes, porém é imprescindível acreditar no que se diz. Porém, conforme repetimos a frase, ela vai “entrando” e fazendo parte de nossa nova crença sobre nós mesmos e sobre o Universo:

- EU SOU LIVRE

- EU AMO E ACEITO A VIDA

- EU TENHO VALOR

- O UNIVERSO CONSPIRA AO MEU FAVOR.

- EU SOU AMADO

- O FUTURO É CHEIO DE ALEGRIAS

- EU SOU MERECEDORA DE TUDO DE BOM

- EU MEREÇO A FELICIDADE COMPLETA

- EU SOU SEGURO E AUTOCONFIANTE

- A ABUNDÂNCIA DO UNIVERSO FLUI PARA MIM

- EU SOU A CRIADORA DA MINHA VIDA

- A VIDA É UMA DÁDIVA DE AMOR, PRAZER E FELICIDADE

- EU QUERO, EU POSSO, EU MEREÇO, EU CONSIGO!!!


BOA SORTE!!!

Anna Leão. (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este artigo).


Comentários

Silvia disse…
Oi Anna!!!!!!!!!

ADOREEEEEIIIIIIIII !!!!

Muito bom, era disso que eu estava precisando, aliás todos estão precisando.

Parabéns, muito bom, muito bom!

Beijão!!!
Anna Leão disse…
OBRIGADA, SÍLVIA!!!

UM GRANDE BEIJO PRA VC!!!
ANNA

Postagens mais visitadas deste blog

BRUXAS E FADAS - QUEM É QUEM?

Minha filha mais nova chegou para mim dizendo que a amiga não acreditava em bruxa boa, que bruxa boa era fada. Ledo engano.
Está certo que a menina fala inspirada nos contos de fadas e tudo o que há por aí sobre o assunto a nível de fantasia. Mas me pergunto, e Harry Potter?
Isto mostra como as crenças (olha elas aí de novo!) são muito fortes e difíceis de serem mudadas de uma hora para a outra. Criamos imagens de certas coisas que ficam enraizadas em nossa psique e na psique coletiva, mesmo que erradas.
Para começar, bruxas e fadas existem. Só que a maioria das pessoas tem uma imagem completamente equivocada de ambas. Existe muito preconceito, má informação e deturpações.
Vamos por parte. Começo pelas fadas. Elas são seres elementais. O que é isto?
Bem, existem quatro elementos básicos da criação, a saber: Terra, Ar, Fogo, Água. Os elementais são seres habitantes destes elementos. Seus nomes, atribuições, características e funções são de acordo com o elemento a que pertencem.
Os reinos ele…

Perséfone - Deusa da Primavera e Rainha do Submundo

De Metamorfose

A princípio pode parecer estranho que a Deusa Perséfone tenha como atributos a Primavera e o Submundo, mas não podemos esquecer que da morte advem a vida e o mito desta Deusa explica isto muito bem.

Filha de Zeus e Deméter, esta jovem Deusa grega, enquanto colhia flores, é raptada por Hades, o Deus do Mundo Subterrâneo.

Jacinto foi a flor que seduziu Perséfone atraindo-a ao local onde a terra se abriu, surgindo Hades em sua carruagem dourada, puxada por cavalos imortais.

Contra a sua vontade Perséfone foi levada ao Submundo. Seus gritos não foram ouvidos por nenhum Deus ou mortal, exceto pela Deusa Hécate que os ouviu de sua caverna.

Deméter, Deusa da colheita, da fertilidade e dos grãos, ao perceber o sumisso de sua filha sai a sua procura. Muito triste e lamentosa, sua luz e alegria vão se extinguindo dando lugar a sua ira, o que provoca a seca e o frio na Terra.

Finalmente ao saber por Hécate o paradeiro de Perséfone, Deméter vai até Zeus pedindo que ele interceda junto a …

O CHAKRA ESPLÊNICO - O SEGUNDO CHAKRA

De Metamorfose

Continuando a falar sobre os chakras...

Chakra Esplênico é o nome do segundo chakra que se localiza no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo.

Seu nome em sânscrito é Svadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol", segundo outros,"morada própria". Ele também recebe os nomes de Chakra do Hara, Chakra Sagrado e Chacra do Sacro.

A função básica do segundo chakra é filtrar e distribuir a energia vital. Ele também é responsável pela sexualidade - tanto por sua energia, quanto pelo prazer que ela proporciona – pela criatividade, pela reprodução e pelos relacionamentos, quaqlquer tipo, inclusive o relacionamento com o mundo físico.

O chakra esplênico é o chakra das emoções. Diane Stein em seu livro As Sacerdotisas, coloca este chakra relacionado ao corpo emocional e à projeção astral, conhecida também como viagem astral. Isto fica fácil de entender pois é este chakra que liga o corpo físico à alma.

É o chakra do movimento, da expanção. Reg…