Pular para o conteúdo principal

SABEDORIA QUE ILUMINA!

De Metamorfose


"...Hermes Trismegisto gravou na Tábua da Esmeralda "O que está em cima é como o que está embaixo".Vemos sobre a terra o reflexo da ação conjunta dos princípios celestiais nas ações dos homens e das mulheres. A virgem, em sua passividade, é semelhante ao espaço primordial originário do qual surgiram as ondas. O masculino é o doador da vida. Estes desempenham na criação da vida os respectivos papéis do passivo e do ativo. Por meio dele, ela se trona criativa e fértil; mas dela é o filho, e ele, ainda que seja o doador da vida, nada leva daí.Ele se desgasta e nada resta que seja dele, exceto o ser chamado por ela de parceiro.

"A vida dele está entre as mãos dela; a vida dele, que foi, que é e será. Portanto deve ele adorar o Princípo Passivo, porque sem ela ele não vem à existência. Pouco conhece ele a necessidade que tem Dela em todas as modalidades de vida. Ela é a Grande Deusa."

"...A Grande Deusa, espaço, terra e água. Como espaço chama-se Rea, mãe dos deuses que fez os deuses; é mais antiga que o tempo: é a matriz da matéria; a substância-raiz de toda a existência, indiferenciada, pura."

"...A filha da Grande Mãe é Perséfone, Rainha do Hades, regente dos reinos do sono e da morte. Sob a forma da Rainha Negra, há homens que também adoram aquela que é Una: do mesmo modo, é ela Afrodite. E aqui reside um grande mistério, porque foi decretado que ninguém entenderia uma sem a outra.

"Na morte, os homens para ela se dirigem ao cruzar o rio coberto de sombras, e ela guarda as suas almas até que o dia chegue. Mas há também uma morte em vida, e esta leva igualmente ao renascimento. Por que temem a Rainha Negra, ó homens? Ela é a Renovadora. Saímos do sono revigorados; da morte nos elevamos renascidos; por meio dos abraços de Perséfone, os homens se tornam poderosos.

"Porque há um voltar-se da alma para o seu próprio interior mediante o qual os homens chegam a Perséfone; eles caem outra vez no ventre do tempo, tornam-se como os não-nascidos. Eles entram no reino no qual Perséfone rege como Rainha; tornam-se negativos e aguardam que a vida surja.

"E a Rainha do Hades vai até eles como uma noiva, e eles são tornados férteis para a vida, e se vão em júbilo porque o toque da Rainha os faz potentes.

" E assim como a Rainha do Hades é a filha da Grande Mãe, assim também do Grande Mar adveio Afrodite, a doadora do amor. E ela é também Ísis de outra maneira.

"Ela é Aquela que Desperta. Aquilo que se acha latente ela chama à potência. Ela é a atração do espaço exterior e torna o centro manefesto. Aquilo que é o centro, o todo-potente, espera, e se aflige, incapaz de projetar-se e transbordar em manifestação, até que a atração do espaço exterior se faz sentir sobre ele."

"...A dourada Afrodite não vem como a virgem, a vítima, mas como Aquela que Desperta, a Ardente. Como espaço exterior ela chama, e o Todo-pai começa a corte. Ela lhe desperta o desejo, e os mundos são criados. Eis que Ela é Aquela que Desperta."

"...Toda mulher é uma sacerdotisa da deusa. Ela é a rainha potente do mundo inferior cujos beijos magnetizam e dão vida. No interior ela é toda-potente, ela é a fertilizadora. Ela leva o masculino a criar, porque, sem desejo, a vida não vem à manifestação.

"É o chamado dela nas trevas que desperta: porque no interior, o masculino é inerte. Não advém ele de sua própria vida, mas do desejo que tem por ela. Até que as mãos dela o toquem, ele é como o morto no reino das sombras; ele é morte-em-vida.

"Ó filhas de Ísis, adorem a deusa, em nome dela façam o chamado que desperta e traz júbilo. E assim serão as abençoadas da deusa e levarão uma vida em plenitude."

"...Aquilo que é latente no exterior é potente no interior; e aquilo que é potente no exterior é latente no interior. Logo, é Ísis tanto Perséfone com Afrodite; e Osíris, o doador de vida, é também o Senhor dos reinos da morte. Essa é a lei da polaridade em alternância, que é de conhecimento do sábio."

"...E aquela que é sacerdotisa de Ísis rege todas as marés sutis, interiores, do coração dos homens como Levanah, a lua. Como Perséfone, ela o atrai para baixo, para o âmago das trevas, para que ele seja receptivo, negativo; como Afrodite, ela o desperta para a luz e para a vida. Ela atende com as suas fases mutáveis às necessidades da vida secreta dele, e ele, por ela plenificado, se torna glorioso em sua força. E ela, assim despertando, assim chamando, assim atendendo, é infundida da pelnitude da vida, porque é a amada da deusa."


Estas poéticas palavras de Sabedoria riquíssima que posto aqui para vocês são da grande autora ocultista inglesa, já falecida, DION FORTUNE, no livro "ASPECTOS DO OCULTISMO",capítulo intitulado "O CULTO DE ÍSIS".

DION FORTUNE, hoje em dia, é vista como ultrapassada em alguns aspectos por muitos estudiosos da Magia. Eu não a vejo assim, até porque sou fã da Sabedoria antiga, pois ela está mais próxima da Fonte. E levando-se em conta o vigente imediatismo e superficialidade existente ao nosso redor, é de se esperar que algo mais profundo e de difícil acesso - pois é preciso meditar sobre os conhecimentos - não seja mais a bola da vez. Até no mundo mágico temos o fast-food reinante da era globalizada.

De qualquer forma, DION FORTUNE é muito respeitada pelo meio mágico e ocultista e vista como uma grande referência. Não sigo o seu caminho, pois sou mais Bruxa da Terra mesmo, mas seu conhecimento é muito profundo e a base para qualquer magia e entendimento da Existência.

Aliás, é bom aprendermos com outras linhas de pensamento desde que elas não se choquem com as nossas, pois isto evita que fiquemos dogmáticos e intransigentes. Além do mais, os caminhos se somam, a Wicca que o diga, e ela é, ou pelo menos deveria ser, a grande religião da Nova Era, pois agrega e não separa.

DION FORTUNE não se intitulava Bruxa, era cristã, tinha um grande conhecimento de Cabala - vide seu excelente livro "A CABALA MÍSTICA" - e era devota da Deusa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BRUXAS E FADAS - QUEM É QUEM?

Minha filha mais nova chegou para mim dizendo que a amiga não acreditava em bruxa boa, que bruxa boa era fada. Ledo engano.
Está certo que a menina fala inspirada nos contos de fadas e tudo o que há por aí sobre o assunto a nível de fantasia. Mas me pergunto, e Harry Potter?
Isto mostra como as crenças (olha elas aí de novo!) são muito fortes e difíceis de serem mudadas de uma hora para a outra. Criamos imagens de certas coisas que ficam enraizadas em nossa psique e na psique coletiva, mesmo que erradas.
Para começar, bruxas e fadas existem. Só que a maioria das pessoas tem uma imagem completamente equivocada de ambas. Existe muito preconceito, má informação e deturpações.
Vamos por parte. Começo pelas fadas. Elas são seres elementais. O que é isto?
Bem, existem quatro elementos básicos da criação, a saber: Terra, Ar, Fogo, Água. Os elementais são seres habitantes destes elementos. Seus nomes, atribuições, características e funções são de acordo com o elemento a que pertencem.
Os reinos ele…

Perséfone - Deusa da Primavera e Rainha do Submundo

De Metamorfose

A princípio pode parecer estranho que a Deusa Perséfone tenha como atributos a Primavera e o Submundo, mas não podemos esquecer que da morte advem a vida e o mito desta Deusa explica isto muito bem.

Filha de Zeus e Deméter, esta jovem Deusa grega, enquanto colhia flores, é raptada por Hades, o Deus do Mundo Subterrâneo.

Jacinto foi a flor que seduziu Perséfone atraindo-a ao local onde a terra se abriu, surgindo Hades em sua carruagem dourada, puxada por cavalos imortais.

Contra a sua vontade Perséfone foi levada ao Submundo. Seus gritos não foram ouvidos por nenhum Deus ou mortal, exceto pela Deusa Hécate que os ouviu de sua caverna.

Deméter, Deusa da colheita, da fertilidade e dos grãos, ao perceber o sumisso de sua filha sai a sua procura. Muito triste e lamentosa, sua luz e alegria vão se extinguindo dando lugar a sua ira, o que provoca a seca e o frio na Terra.

Finalmente ao saber por Hécate o paradeiro de Perséfone, Deméter vai até Zeus pedindo que ele interceda junto a …

O CHAKRA ESPLÊNICO - O SEGUNDO CHAKRA

De Metamorfose

Continuando a falar sobre os chakras...

Chakra Esplênico é o nome do segundo chakra que se localiza no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo.

Seu nome em sânscrito é Svadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol", segundo outros,"morada própria". Ele também recebe os nomes de Chakra do Hara, Chakra Sagrado e Chacra do Sacro.

A função básica do segundo chakra é filtrar e distribuir a energia vital. Ele também é responsável pela sexualidade - tanto por sua energia, quanto pelo prazer que ela proporciona – pela criatividade, pela reprodução e pelos relacionamentos, quaqlquer tipo, inclusive o relacionamento com o mundo físico.

O chakra esplênico é o chakra das emoções. Diane Stein em seu livro As Sacerdotisas, coloca este chakra relacionado ao corpo emocional e à projeção astral, conhecida também como viagem astral. Isto fica fácil de entender pois é este chakra que liga o corpo físico à alma.

É o chakra do movimento, da expanção. Reg…