Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Imbolc - O festival da Deusa Brighid

No mês de agosto, aqui no Hemisfério Sul, dentro da Roda do Ano Celta, realizamos o festival Imbolc, também conhecido como Candlemas. Este festejo homenageia a Deusa tríplice do fogo, Brighid, e pode ser celebrado nos dias primeiro ou dois de agosto, ou na lua nova mais próxima destas datas.
Brighid, também conhecida como Brigith ou Brígida, anuncia a chegada da Primavera em breve. Ela é a Deusa do Fogo Sagrado, aquele fogo que inspira e que também aquece os lares, tão bem representado pelas lareiras e pelo fogo que prepara nossos alimentos. É o fogo que nutre, que acolhe, que protege, que inspira.
Além de Deusa dos poetas, músicos e artistas, pois ela é aquela que inspira e dá o dom da criatividade, Brighid também é uma Deusa de cura, das ervas sagradas e das fontes milagrosas - ou mágicas, como queiram.
Brighid é também a padroeira dos noivos e das mulheres grávidas. É a protetora dos ferreiros e artesãos, Deusa da divinação e das profecias.
O festival de  Imbolc marca o meio entre…

Dons

Desenvolver os dons é preciso, é vital! Mas  e quando esses dons já foram desenvolvidos? E quando você quer verter o caldeirão da inspiração e se superar? Será que um dom tem um prazo de validade? Será que ele já teve o seu destino? E quando você precisa desenvolver apenas um dom? E quando você só pode lidar com um único dom? O que te aprisiona? São seus dons mal desenvolvidos? O não reconhecimento deles? A incerteza sobre eles? Ou será a constância tranquila e suave no desenvolvimento de seus dons, enquanto o mundo a sua volta grita:  DEPRESSA 
Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Contemplativa...

Sou uma mulher contemplativa... Me delicio em meus devaneios de onde brota  a minha criatividade Comungo com o nada em uma espécie de meditação Sentindo o prazer de uma vida calma que apenas flui
Gosto de levar uma vida tranquila Comungando com a natureza e suas energias Sentindo o pulsar da vida dentro de meu ser
Com meu olhar vago parece que não estou nem aí Mas estou megulhada no mundo vasto que habita meu ser Não, não, não vivo mergulhada em um mundo de sonhos Apenas tenho o prazer de viver em constante contato comigo mesma
Não tenho necessidade de muito agito, pelo contrário Mas de vez em quando preciso estar na multidão E com disse o poeta, nela eu sou diferente Então aproveito para brilhar, para exalar o calor de uma legítima filha do Sol Mas antes da meia noite volto sabiamente para mim mesma, para a minha vida serena
Respeito os meus ciclos, as minhas estações E com isto me conheço cada vez mais Percebendo que a essência da vida é tão simples Que a felicidade é tão fácil
Nu…

Sintonia

Vou fluindo una com os Deuses A Eles pertenço e faço Deles a minha morada Mas também sou única, pertenço a mim mesma  E exalo o Awen a mim ofertado
Preciso da terra para me enraizar Da mesma forma que preciso do fogo para me acender Sou água, terra, fogo e ar Estou no Céu, na Terra e no Mar
Vivencio cada faísca do Awen sagrado Tornando passado, presente e futuro  momentos consagrados.
Pode parecer insano para aqueles que não conhecem essa magia A minha magia, a magia dos Deuses!

É que sou profunda, inteira e certeira Mas muitas vezes me desmancho em pedaços sortidos de mim mesma Para aos poucos reconstruir-me novamente Como um mosaico recortado ainda não desvelado.
Anna Leão. Todos os direitos reservados.