Pular para o conteúdo principal

Uma fada pousou nas minhas costas...


Uma fada pousou nas minhas costas!
Sim! No quadrante direito superior, como vocês podem ver na foto acima.

Há muito tempo eu queria fazer uma tatuagem de fada, mas ia deixando a ideia congelada, até porque eu não queria uma “fadinha qualquer” e nem pequena. Sempre me senti no mundo das fadas, ou do mundo das fadas, vai saber...

Mesmo assim, outras tattoos vieram antes dela, que sabiamente esperou pelo momento certo (ou fui eu quem esperou pelo toque dela?). Sol e lua, serpente e runa já haviam sido entalhadas em minha carne branca e delicada antes da fada.

A dor? Não...Sempre senti um certo prazer pela dor infringida pelas tatuagens. Mas a fada me trouxe uma surpresa. De tão majestosa ela precisou de várias sessões. Precisei usar adesivos anestésicos porque sentia bastante a dor (Ah, e eles funcionam sim!). Acho que o tamanho, o preenchimento com cor e os vários detalhes fizeram da fada a tatuagem mais elaborada que habita meu corpo.

Todo o processo de criação desta tatuagem foi bem interessante e diferente das outras minhas tattoos.Quando procurei o tatuador - o Marco Tattoo, do estúdio Anúbis Tattoo – eu levei um desenho já pronto de uma fada, retirado da internet, depois de muito buscar “a fada ideal”.O Marco me aconselhou a mudar algumas coisas para não ficar igual a outras, já que era uma imagem que circulava na internet. Eu queria também um triskle saindo das mãos da fada, sustentado por ela.

Começamos a elaborar a imagem e o Marco se inspirou em um desenho do artista theco Alfhonse Mucha (foto ao lado) para construir a “minha” fada. Engraçado que um outro tatuador já havia me sugerido para eu fazer uma tattoo de algum desenho desse ilustrador. Partindo do desenho de Mucha, colocamos as asas e soltamos o cabelo “da modelo”. O Marco deu a ideia de que a fada estivesse deitada em uma cama de flores ou nuvens. Eu optei pelas flores (Nas nuvens já basta eu!) e escolhi rosas azuis. Há muito eu tinha vontade de tatuar uma rosa azul, e essa era uma oportunidade perfeita de mais uma tattoo desejada se materializar em meu corpo.

Por que rosas azuis?
Ah, talvez porque elas sejam lindas e raras como as fadas (bom, pelo menos neste nosso mundo...).

De início eu queria cores solares nas asas e os cabelos vermelhos. Depois do desenho pronto, começamos a colorir primeiramente as rosas, depois as asas (que ficou um lindo degradé de cores solares), até chegarmos no tecido que escolhi vermelho. Pronto, com isto o cabelo vermelho que eu havia pensado para a fada não se destacaria. Tive que mudar, poderia optar pelo castanho, mas optei pelo loiro ( Sempre fui loira de alma! rsrsrs).

Mas nada é por acaso, pois embora desde o início a minha mente quisesse que a fada fosse ruiva, eu a sentia loira. E percebi que nisto havia o toque da Deusa celta Aine, Rainha das Fadas,  de cabelos dourados, Deusa Solar, filha de Manannán Mac Lir – Deus do Mar e guardião do Outro Mundo celta. Me senti abençoada por Aine! Tenho muito a ver com ela, e como dizia o Marco , “ A tattoo vai ganhando vida...”

Mas a coisa toda não parou por aí. Para arrematar, o triskle de Aine foi imbuído de magia formando uma linda mandala solar ao seu redor. Mandalas, nós sabemos, são símbolos do Cosmos.

Depois de um tempo percebi que além do triskle que simboliza os três reinos celtas ( o Céu, a Terra e o Mar), a própria tattoo inteira representava os três reinos: a Terra (as rosas), o Mar (Aine, filha do Deus do Mar) e o Céu (a Mandala).

Na verdade as simbologias são muito extensas e profundas, e podemos atribuir várias interpretações, até porque as coisas não são uma coisa só e, muito menos, com o rigor cartesiano. Aine, por exemplo, representa também o Reino dos Céus já que é uma Deusa, ainda mais Solar.

Os símbolos (imortais) vão chegando a nós nos momentos certos e é preciso muita coragem e, principalmente, certeza, para darmos vida a eles em nossos corpos (mortais).

Fàilte!

Nota: Triskle: símbolo celta de proteção, representando os três reinos celtas; copro, mente, alma; os ciclos eternos da natureza; harmonia e equilíbrio; movimento; símbolo solar.

Anna Leão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BRUXAS E FADAS - QUEM É QUEM?

Minha filha mais nova chegou para mim dizendo que a amiga não acreditava em bruxa boa, que bruxa boa era fada. Ledo engano.
Está certo que a menina fala inspirada nos contos de fadas e tudo o que há por aí sobre o assunto a nível de fantasia. Mas me pergunto, e Harry Potter?
Isto mostra como as crenças (olha elas aí de novo!) são muito fortes e difíceis de serem mudadas de uma hora para a outra. Criamos imagens de certas coisas que ficam enraizadas em nossa psique e na psique coletiva, mesmo que erradas.
Para começar, bruxas e fadas existem. Só que a maioria das pessoas tem uma imagem completamente equivocada de ambas. Existe muito preconceito, má informação e deturpações.
Vamos por parte. Começo pelas fadas. Elas são seres elementais. O que é isto?
Bem, existem quatro elementos básicos da criação, a saber: Terra, Ar, Fogo, Água. Os elementais são seres habitantes destes elementos. Seus nomes, atribuições, características e funções são de acordo com o elemento a que pertencem.
Os reinos ele…

Perséfone - Deusa da Primavera e Rainha do Submundo

De Metamorfose

A princípio pode parecer estranho que a Deusa Perséfone tenha como atributos a Primavera e o Submundo, mas não podemos esquecer que da morte advem a vida e o mito desta Deusa explica isto muito bem.

Filha de Zeus e Deméter, esta jovem Deusa grega, enquanto colhia flores, é raptada por Hades, o Deus do Mundo Subterrâneo.

Jacinto foi a flor que seduziu Perséfone atraindo-a ao local onde a terra se abriu, surgindo Hades em sua carruagem dourada, puxada por cavalos imortais.

Contra a sua vontade Perséfone foi levada ao Submundo. Seus gritos não foram ouvidos por nenhum Deus ou mortal, exceto pela Deusa Hécate que os ouviu de sua caverna.

Deméter, Deusa da colheita, da fertilidade e dos grãos, ao perceber o sumisso de sua filha sai a sua procura. Muito triste e lamentosa, sua luz e alegria vão se extinguindo dando lugar a sua ira, o que provoca a seca e o frio na Terra.

Finalmente ao saber por Hécate o paradeiro de Perséfone, Deméter vai até Zeus pedindo que ele interceda junto a …

O CHAKRA ESPLÊNICO - O SEGUNDO CHAKRA

De Metamorfose

Continuando a falar sobre os chakras...

Chakra Esplênico é o nome do segundo chakra que se localiza no baixo ventre, quatro dedos abaixo do umbigo.

Seu nome em sânscrito é Svadhistana, que significa segundo alguns autores "morada do Sol", segundo outros,"morada própria". Ele também recebe os nomes de Chakra do Hara, Chakra Sagrado e Chacra do Sacro.

A função básica do segundo chakra é filtrar e distribuir a energia vital. Ele também é responsável pela sexualidade - tanto por sua energia, quanto pelo prazer que ela proporciona – pela criatividade, pela reprodução e pelos relacionamentos, quaqlquer tipo, inclusive o relacionamento com o mundo físico.

O chakra esplênico é o chakra das emoções. Diane Stein em seu livro As Sacerdotisas, coloca este chakra relacionado ao corpo emocional e à projeção astral, conhecida também como viagem astral. Isto fica fácil de entender pois é este chakra que liga o corpo físico à alma.

É o chakra do movimento, da expanção. Reg…