DEIXAR ENTRAR, DEIXAR SAIR...




Como é importante sabermos o que deixar entrar e o que deixar sair.

Isto é, o que e quando internalizar e externar.

Internalizar é muito daquilo que já falei aqui sobre as crenças e padrões que assumimos.

O que colocar para dentro? Que valores, que crenças, que ideias internalizar?

Acho que o grande barato é percebermos o que tem a ver com a gente de verdade. Assim como o que vai nos enriquecer, nos alimentar, mesmo que a princípio pareça não fazer parte do nosso mundo pessoal.

E por falar em alimento, a comida também é algo importante, muito importante! Sem neuras, de uma forma diferente do que anda por aí.

É importante aprendermos a ouvir nosso corpo, a sentir as suas necessidades. Ele diz para a gente quando precisa de certo tipo de alimento e quando já está saturado de outro. É só procurarmos ouvi-lo, ele dá sinais. Pois não temos um corpo, nós somos também um corpo.

Também é muito importante o deixar sair. É importante percebermos o que estamos externando. Porque o que externamos é também o que atraímos para nós.

Claro que precisamos colocar para fora nossos sentimentos; e a raiva, a tristeza, o medo fazem parte deste conjunto de sentimentos que possuímos. Mas o importante é percebermos como podemos colocar estes sentimentos para fora.

Reconhecer o medo e falar sobre ele com alguém é uma forma de colocá-lo para fora e neutralizá-lo. Muito melhor do que tentar ignorá-lo e viver inseguro o tempo todo, ou não sabendo lidar com certa situação.

Externar é expressar. Precisamos nos expressar o tempo todo, não esquecendo que o silêncio, a quietude, também é muitas vezes uma forma de expressão.

Se não nos expressamos ficamos estagnados, cheios de sentimentos, pensamentos, conhecimentos acumulados que precisam sair, fluir. E é aquela coisa, quando o copo está cheio...

Vamos então perceber este fluxo que acontece conosco o tempo todo. Isto é, dar e receber, ensinar e aprender, é uma constante, é uma troca permanente, com o outro, com o meio, com o externo. E compete a nós zelarmos por esta troca, pela qualidade deste fluxo.

Não é bom reter nada, então, deixe soltar, deixe fluir, deixe sair!

Se expresse, de alguma forma se expresse!

Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este artigo).




Deixo vocês com MADONNA em EXPRESS YOURSELF. Porque TUDO tem que ser expresso, de uma forma ou de outra...

Comentários

LYDIAH disse…
Anna, querida,

que belo texto!!!

Nascimento-Vida-Morte-Renascimento.

Dia-Noite-Dia.

Nova-Crescente-Cheia-Minguante-Nova.

Entrar e sair para entrar, outra vez!!!

Expressando tudo - rs - como diz você!!!

Beijos e saudade,
Lydiah.
ANNA LEÃO disse…
Oi amiga, obrigada!!!!!!

É sempre importante reconhecermos os ciclos e sabermos que eles fazem parte de nós e nós deles, não é?

um beijo grande e saudade!!!!!

Anna.