"Detalhes" Mágicos - Meu Ponto de Vista




Uma das coisas que os caminhos pagãos, a Wicca e a Religião da Deusa possibilitam é a liberdade de ação de cada um. Adaptamos nossa magia à nossa vida e ao nosso meio ambiente. Bom, pelo menos deveria ser assim, principalmente se tratando de caminhos espirituais que se baseiam na Natureza, nos seus ciclos e em suas energias.

Mas infelizmente eu não vejo isto acontecer muito. Vejo muitos bruxos no Hemisfério Sul seguindo ao pé da letra o que está escrito nos livros com a visão do Hemisfério Norte. Sem se ligarem em como funciona a Natureza de onde estão.

Em primeiro lugar, quero deixar claro aqui, que é muito importante a força do praticante da magia. Perto disto o modo como ele vai traçar um círculo, por exemplo, é quase irrelevante desde que ele perceba que aquilo funciona para ele, desde que ele já tenha praticado bastante.

Aliás, o experimento e a prática são tudo na vida de um bruxo. Seguindo a "cartilha" ao pé da letra, estamos nos comportando igual a quem tanto criticamos. Lembro-me de quando eu era adolescente, eu questionava minha amiga católica que ia perguntar à mãe se podia comer carne naquele dia. Eu perguntava para ela o porquê dela não poder comer e ela não sabia me responder. Eu não entendia como ela podia fazer algo cujo significado não conhecia. Vamos ter cuidado para não estarmos fazendo o mesmo.

Uma das coisas mais preciosas de nosso caminho é a liberdade, a liberdade de entender, de escolher, de adaptar. Lembro-me de uma vez, quando começava "oficialmente" no caminho da Deusa, que uma amiga do coven dizia: " Nada é obrigado aqui". Vamos, então, dar valor a esta liberdade!


Bom, vou falar agora, de dois aspectos que acho bastante importantes dentro deste contexto.

De Metamorfose


Quando vamos realizar um trabalho mágico, um ritual, traçamos um círculo. Ele nos protege, concentra nossas energias, concentra a energia mágica e nos coloca entre os mundos, nos coloca num lugar mágico.

Todos aprendem a traçar o círculo no sentido horário, pois é o sentido do movimento do sol. É mesmo? Você já observou isto aqui no Hemisfério Sul? Concordo que no Hemisfério Norte o movimento do sol seja no sentido horário, mas aqui no Hemisfério Sul ele é no sentido anti-horário. Repare bem, ele nasce no leste e vai para o norte, se pondo no oeste. Por isto, aqui no Hemisfério Sul, o nosso Norte é o elemento fogo, e o nosso Sul fica com o elemento Terra. Exatamente o contrário do Hemisfério Norte.

Isto para mim faz tanto sentido, principalmente levando em conta a natureza (interessante trocadilho) de nosso caminho espiritual. Também tenho a informação que os povos indígenas do Hemisfério Sul trabalham seus círculos exatamente desta forma, oposta a dos nativos norte-americanos. E hoje em dia, quer mais em contato e comunhão com as forças da natureza que estes povos?

Sei que o caminho espiritual que sigo tem sua origem no HN, exatamente por isto temos que ter o cuidado de não seguir as coisas mecanicamente. Por mais que sua origem seja de outro hemisfério, a sua natureza permite e requer que ele seja adaptável para cada região e meio ambiente. A magia é viva e, como algo com vida, passa por mudanças e adaptações.

Outro ponto é a Roda do Ano. Para quem não segue o caminho, explico que é o marco das estações, equinócios, solstícios e seus festivais intermediários, que também marcam uma mudança na estação. Tudo sentido tanto na Natureza externa quanto na interna, dentro de nós, na nossa vida, pois tudo é um Todo.



De Metamorfose




Muitos praticantes aqui no HS, já celebram a Roda do Ano de acordo com a Natureza de nosso território. Mas ainda há muitos que insistem em fazê-la de acordo com o HN, alegando, por exemplo, que não acham sentido em celebrar a União Sagrada entre a Deusa e o Deus de Beltane, enquanto todos aqui estão comemorando o dia dos mortos, que no HN cai em sintonia com Samhain, a festa do Ancestrais.

Ora, como já falei aqui, em meu texto da Páscoa (mês de março, vale à pena dar uma lida), estas datas também foram importadas do HN. A Igreja adaptou a maioria dos festivais pagãos e os transformou em suas datas festivas; o Natal, por exemplo, é uma delas. Porém, a Igreja não se importava com a Natureza e seus ciclos. Quando a América do Sul foi colonizada, os colonizadores eram cristãos e europeus e impuseram seus costumes, suas datas, sem se ligarem se estavam em conformidade com a Natureza daqui, pois para eles isto era irrelevante.

Mas para nós pagãos, não. A Natureza é muito relevante! E, ao meu ver, usar o argumento das datas cristãs para celebrar a Roda do Ano de acordo com o HN é ser um bruxo cristão e não um bruxo pagão. É se submeter a algo que não faz parte do seu caminho, é mais uma vez estar subjugado, e desta vez com consentimento.

Alguns alegam que as egrégoras correspondentes não estarão aqui, pois elas são do HN e só vão atuar de acordo com aquele hemisfério. Bom, pensando assim, então elas nunca virão! Bobagem! Pois eu acho exatamente o contrário. Tenho certeza que elas estão aqui sim, principalmente porque estão de acordo com o meio-ambiente. E depois, eu confio na minha magia e na essência do meu caminho. E principalmente confio nos Deuses.

Não comemorar a Roda do Ano dentro do seu giro natural no HS, para mim, é perigoso. É como se travássemos esta Roda, que tem que girar sempre, é como se a girássemos no sentido contrário, o que não é nada bom.

Tudo isto é a minha opinião pessoal. Estou aqui querendo alertar para procurarmos sentir, intuir e pensar, além de experimentar. Todo o conhecimento que nos chega deve passar por estas etapas. Não devemos "comprar" o modelo pronto. Se você está no HS e celebra a Roda do Ano como no HN sentindo que assim funciona para você, que você se identifica desta maneira, que é assim que flui para você, não sou eu quem vai discordar da sua vivência e experiência!

Coloquei aqui o meu ponto de vista no momento presente da minha vida. Amanhã posso aprender ou vivenciar algo novo que faça sentido para mim e mude toda esta forma de pensar. O importante é refletir sobre o que aprendemos, tirarmos nossas próprias conclusões e aplicarmos de uma forma que faça sentido para nós. Afinal, a primeira coisa que um bruxo é em essência, é um livre pensador.


Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este artigo).


Comentários

Rachel Parente disse…
Anna, achei muito interessante esta postagem e queria tirar uma duvida com vc. Passar seu aniversario em outro Hemisferio eh algo importante? Relevante? Altera alguma coisa?
Obrigada!
Rachel
Oi, Anna!

Adorei a sua colocação, principalmente ao que se refere em ser 'um bruxo cristão e não um bruxo pagão', essa é a questão! rsrsrs...

Ai, minha Deusa! É tão simples que acaba sendo até engraçado, mas muito verdadeiro.

A Roda do Ano fica mais fácil de se entender quando observamos a própria natureza e as suas mudanças. Que assim seja!

Beijos e bênçãos...

)O( Rowena
Anna Leão disse…
Bem-vindas Rachel!!!

A astrologia comprova bastante a relevância da sua questão, pois o lugar onde a pessoa vai passar o aniversário interfere diretamente na sua Revolução Solar - o mapa do aniversário, que fica valendo até o próximo aniversário, faz parte das previsões astrológicas junto com os trânsitos. Para a atrologia, passar o aniversário em outro estado já dá uma boa diferença, pois o ascendente provavelmente será outro. Já conheci casos de pessoas que tinham possibilidade de escolher onde passar o aniversário e faziam as RS com antecedência par ver qual seria a melhor. Em outro hemisfério a mudança será maior ainda, mas pode ser muito bom. Eu gostaria!

Bjs
Anna.
Anna Leão disse…
Rowena querida,

Obrigada!!!

Pois é, é tão simples que acaba sendo engraçado...

Sejamos sempre bruxas pagãs, com as bênçãos da Deusa!!!

Beijos,

Anna.