"A magia, a espiritualidade e o autoconhecimento são temas que sempre me interessaram. Por isto estudei astrologia e várias doutrinas espirituais e filosóficas. Continuo pesquisando e estudando infinitamente, e sinto como meu dever passar estes conhecimentos. É o que faço através de minhas histórias - nos livros - ensaios e crônicas. Sempre com muito prazer e gratidão, utilizando os dons que me foram ofertados: a imaginação e a escrita. O METAMORFOSE, fundado em 2008, foi o primeiro canal para esta expressão. Sejam sempre bem-vindos!"

domingo, 26 de março de 2017

FECHANDO CICLOS...


O que seria dos começos se não fossem os finais? Quase sempre, para começarmos algo novo, precisamos promover um término. Precisamos largar, deixar ir, para podermos receber o novo. Para abrirmos  um novo capítulo em nossas vidas muitas vezes é necessário deixar morrer.

Geralmente são corações que se partem, lágrimas derramadas e um sentimento de fracasso. Isto normalmente acontece nos finais de relacionamentos amorosos. Namoros, casamentos, casos, enfim, não importa; o importante, por mais que seja sofrido o término, é olhar com outros olhos para ele. Não com um sentimento de fracasso, mas de gratidão. Não houve fracasso e, sim, aprendizado.  Houve maus e bons momentos, como em tudo na vida. Deu certo enquanto durou e é isto que importa.

 Nada dura para sempre e, muitas vezes, quando dura é por comodismo, por medo, enfim, por motivos que não ajudam o crescimento, a expansão e a fidelidade a nossa própria natureza. Diga-me: o que adianta ser fiel aos outros, se não formos fiéis a nós mesmos? Para sermos, realmente, fiéis a alguém, precisamos ser fiéis a nossa própria natureza. Pois se estamos mentindo para nós, estamos mentindo também para os outros. Por isto o autoconhecimento ser tão importante.  Precisamos nos conhecer profundamente para sabermos, de fato, quem somos, o que queremos e quais os nossos valores reais. Assim não fingiremos ser o que não somos, não prometeremos o que não podemos cumprir e, seremos autênticos e transparentes.

Temos a visão romântica do que até a morte nos separe, reforçada por uma sociedade que quer nos formatar a todo custo. Por isso uma família quando se desfaz é motivo de comoção. Mas existem muitas formas de ter uma família, de fazer parte de uma. Assim como existem muitas pessoas que não são talhadas para formar uma família, pelo menos de forma convencional. E como essas pessoas sofrem! Como vivem em conflito tentando se encaixar em um papel que não combina com elas.

Mas este texto sobre finais não está restrito só ao término de relacionamentos amorosos. Delonguei-me um pouco nele porque para a maioria das pessoas isto machuca muito. Mas há várias formas de sinais de finais de ciclos, tanto internos quanto externos. Se pararmos para pensar bem, veremos que em todas as mudanças significativas de nossas vidas há uma morte para haver um nascimento, ou mesmo, um renascimento. Quantas vezes precisamos largar uma profissão para podermos começar outra? Quando mudamos de cidade ou país, houve toda uma morte do estilo de vida que levávamos naquele lugar; uma morte de relacionamentos, contatos pessoais... E o novo se descortina em outro lugar, com nova energia, novas pessoas, novo modo de viver.

Para expandir é preciso deixar algo para trás, é preciso deixar morrer… Sejamos gratos por tudo que passamos, que aprendemos, que recebemos e tivemos a oportunidade de dar. Encaremos isso com um sorriso no rosto, uma leveza no coração e uma certeza de que um belo novo ciclo está por começar. 

Por Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este artigo).

quarta-feira, 15 de março de 2017

LUA AMARELA


A lua amarela veio me visitar
Em uma noite quente de verão, olho para o céu e a vejo
Linda, brilhante, redonda e majestosa
Abriga o sol dourado em seu ventre
Lua danada, safada e caprichosa
Me enche de glamour, fervor e ardor
E as horas não passam enquanto espero o meu amor
É nessa lua que gozo o gozo da mulher madura
Fatal, selvagem, jubilosa
Sereia certeira que encanta com seu canto
Louvando essa lua que os males espanta
.
Por Anna Leão (Favor mencionar fonte e autoria ao reproduzir este poema)


quarta-feira, 8 de março de 2017

Risonha



Liberando a caneta na mão, deixando os versos fluírem 
Trago no peito um coração que não deixa a vida sem graça
Rio, sorrio, "apalhaço" pra valer!
Esse é o meu jeito: doce e meigo
Jeito de menina faceira, mulher feiticeira
Gosto de rir, de me divertir
Sou sempre assim: humana e cômica
Por que chorar se posso rir?
Por que sorrir se posso gargalhar?
É tão triste saber que tudo tem fim
E talvez só aí as lágrimas possam cair
Deixando o molhado na face, que o sol vem secar
Pra novamente voltar a sorrir, rir e gargalhar...


Por Anna Leão (favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)




terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Rabiscos de Anna IV

Resultado de imagem para estrelas gifs animados

ESTAR ABERTA AO NOVO É ESTAR SEMPRE CRESCENDO. LEVAR O NOVO ÀS PESSOAS É CRESCER CEM VEZES MAIS!

Por Anna Leão  

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Rabiscos de Anna III

Resultado de imagem para estrelas gifs animados
A sabedoria está presente em nosso íntimo. Para ter acesso a ela, devemos procurar as respostas cada vez mais em nós mesmos. Olhar mais para dentro do que para fora. 

Por Anna Leão 


 


domingo, 8 de janeiro de 2017

A SABEDORIA LUNAR


Assim como com os ciclos solares, a sintonia com os ciclos lunares são de grande importância para vivermos em harmonia. Também somos natureza, e influenciados tanto pelas estações do ano quanto pelas fases da lua. Aliás, nós somos mais que influenciados pelos ciclos solares e lunares. Nós somos interligados a eles e, por isso, a boa observação e identificação com eles nos proporcionam um maior bem-estar e um melhor aproveitamento da vida.

Sabemos que a lua influencia as marés, assim como o nosso humor. Conhecendo e nos sintonizando com suas fases adquirimos uma maior compreensão de nossas emoções e ações, assim como dos fatores externos que se apresentam em nossas vidas.

Dentro do Paganismo, na maioria de suas vertentes, associamos a lua com a essência do feminino e das Deusas; assim como o sol é associado à energia masculina e aos Deuses. Porém, isso não impede de encontrarmos Deusas personificando o sol e Deuses personificando a lua. A energia feminina e masculina permeiam tudo e todos. Homens que têm o seu feminino mais equilibrado com seu masculino sentem de uma forma consciente a força das mudanças de lua, assim como mulheres com seu masculino mais equilibrado com seu feminino percebem de imediato as mudanças de acordo com o ciclo solar. Mas consciente ou inconscientemente, isso se dá o tempo todo, tanto com homens e mulheres, pois assim como tudo, são afetados por ambos os ciclos: solar e lunar. A verdade é que a dualidade é apenas uma ilusão que parece real na nossa dimensão.

Vamos, então, conhecer mais profundamente cada fase da lua e o que esperar delas:

Lua Negra - Dentro de alguns ramos do Paganismo, que atribui um aspecto da Deusa a cada fase lunar, esta lua representa a face escura da Deusa, a Deusa Negra. Este escuro nada tem de negativo, ou maligno, apenas representa aspectos da existência regidos pela Deusa Negra que são considerados ainda como tabus pela atual sociedade. A sexualidade (não em sua forma superficial, mas como força profunda e potente), a magia, o oculto e o inconsciente são alguns desses aspectos.

A Lua Negra é aquele período em que a lua não aparece no céu. Ele pode durar de um a três dias dependendo da época do ano. Ela ocorre no final da Lua Minguante e antes da Lua Nova, quando esta desponta no céu em seu finíssimo arco.

Na fase Negra da Lua seu magnetismo está praticamente ausente. É um momento propício para nos conectarmos com nosso inconsciente e adentrarmos no vazio em busca de nossos potenciais. Deixemos os fatos seguirem seu curso e procuremos esperar a Lua Nova para iniciarmos algo.

Lua Nova - Esta fase da lua está relacionada ao aspecto de Donzela da Deusa, assim como a Lua Crescente. Porém, aqui, a Deusa se apresenta com uma força mais sutil do que na Lua Crescente, mas não menos poderosa.

Este é o momento de plantarmos as sementes para um novo ciclo. Devemos sempre iniciarmos algo novo aqui, mesmo que seja uma nova estratégia para um mesmo objetivo que não se concretizou ainda. É um momento repleto de possibilidades. Nos sentimos renovados e esperançosos, assim como cheios de ideias e projetos.

Lua Crescente - Aqui a Deusa Donzela possui o entusiasmo da juventude e avança sem parar. Ela quer chegar a algum lugar e usa todo o seu potencial para fazer com que as sementes plantadas produzam frutos.

 É um momento em que devemos nos colocar, fazer as coisas acontecerem; vencermos os desafios, jamais retroceder aqui. Vejo esta face da Deusa, esta fase da Lua, como a Donzela guerreira. Aquela que vai buscar o que quer, que ultrapassa os obstáculos. Não é um momento de reclusão, é um momento de externar, de se mostrar.

Lua Cheia - Na Lua Cheia a Deusa torna-se Mãe. Essa não é uma Mãe virginal como a do Cristianismo. Ela é uma Mãe-Amante, algo extremamente natural para o Paganismo, já que a maternidade presume a sexualidade. A sexualidade é tida como sagrada dentro do Paganismo e é sinônimo de vida. Vejamos as próprias crianças geradas do relacionamento entre Deuses e humanos, onde o ato sexual de fato ocorreu, e não apenas um sopro divino. Quando os Deuses queriam fecundar um mortal, eles se materializavam e praticavam o ato sexual.  Por isso a Deusa da Lua Cheia ser tão sexual, além de generosa e protetora. Por isso estarmos tão entusiasmados e colhendo o que plantamos. Aqui o magnetismo lunar está em seu apogeu, o que faz com que as emoções, as ações e a sexualidade estejam em seu ponto máximo.

 É o momento de nos glorificarmos com nossos sucessos, ou nos frustrarmos com nossos fracassos, pois algumas sementes plantadas na Lua Nova podem ter vingado, enquanto outras não. Chegamos ao momento da colheita desse ciclo lunar. Mas ela pode não acontecer, caso não tenhamos atuado com empenho na fase anterior. Aqui, se nossas expectativas se frustram, ficamos raivosos e irritados. Devemos, então, encontrarmos uma saída positiva para esses sentimentos e nos prepararmos com serenidade para a próxima fase da lua. No entanto, se a colheita acontece é um momento de muita animação e êxtase que deve ser celebrado com muita alegria.

A nível mágico, encantamentos feitos tanto na Lua Cheia quanto na Crescente têm muita chance de serem bem sucedidos. A Lua Cheia já começa a perder a sua força no dia seguinte do seu ápice, por isto, é aconselhado fazer os encantamentos até o terceiro dia depois de sua plenitude, embora eu ainda prefira os três dias anteriores. Sendo que a véspera de seu ápice, conhecida também como plenilúnio, é o melhor dia para magias de prosperidade e amor. Lembrando que o encantamento pode ser um pensamento ou uma afirmação, e que o cuidado de não interferir no livre-arbítrio de alguém é de extrema importância.

Lua Minguante - Esta é a face Anciã da Deusa. Ela traz cura, sabedoria e também o fim. Sendo que tudo isso pode ser relativo. Algo pode se iniciar aqui sim, trazendo cura ou sabedoria. Se não fosse assim, nenhuma criança seria concebida ou nasceria numa Lua Minguante. Na magia, tudo deve ser interpretado com muita profundidade e sabedoria, se não, cai-se no risco dos clichês, estereótipos e informações erradas ou deturpadas. Muitas vezes, por exemplo, o que parece ser uma coisa é outra.

 Nesta fase Lunar há uma necessidade de seguirmos com o fluxo. Não devemos resistir como faz a impetuosa Donzela-Guerreira da Lua Crescente. É momento de acolher a sabedoria e cura da Anciã, deixando que ela leve (ou traga) o que é necessário para nós.

Devemos nos interiorizar e entrarmos em estado de introspecção, analisando com sensibilidade o ciclo que passou, nossos atos, perdas e ganhos. É época de nos purificarmos nos preparando para entrarmos no vazio da Lua Negra.

A Lua Minguante é o melhor momento para trabalhos de banimento e cura e também para términos, quando precisamos finalizar algo. Conversas difíceis podem ser tidas aqui, quando as pessoas estão com as emoções menos exaltadas. Assim, em vez de terminar uma relação, podemos apenas dar fim a um mal-entendido, conversando nesta fase da lua em vez de na Lua Cheia.

Por Anna Leão (favor mencionar fonte e autoria ao reproduzir este texto)

sábado, 31 de dezembro de 2016

FELIZ 2017!!!



QUERIDOS LEITORES,

DESEJO A TODOS UM PRÓSPERO 2017!!!
QUE SATURNO, REGENTE DESSE ANO E DO NOVO CICLO DE 36 ANOS, NOS TRAGA SABEDORIA, MATURIDADE, CONCRETIZAÇÃO E ESTRUTURA.
...E  COLOQUE UMA ALIANÇA NO MEU DEDO, COMO O BELO ANEL QUE ELE  USA!

BEIJOS A TODOS!
ANNA


sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A MAGIA DAS CORES


As cores são de grande importância em nossa vida por mais que não demos conta disso. Assim como temos a vibração do som, dos óleos aromáticos, dos florais, temos também a vibração das cores. Elas atuam em nosso psiquismo. E chegamos à cromoterapia. Mas vou mais além. Pretendo correlacionar aqui as cores com seus atributos dentro da magia. Não será muito diferente da cromoterapia, nem poderia ser, pois todas as terapias, que usam o poder sutil altamente potente dos recursos divinos, são na verdade uma parte da magia. Mas alguns atributos não são tão importantes para a cromoterapia como são dentro da magia. Acender uma vela da cor correspondente ao que necessitamos é um ato mágico de grande poder.


Resolvi descrever, aqui, todos os atributos da cor em si, de uma forma bem ampla, e dentro do que acredito e vivencio em minha vida. Como iremos usar o poder dessas cores vai de acordo com a necessidade e a afinidade de cada um. Volto a falar da vela, que, com a finalidade de fazer as coisas acontecerem rapidamente, é o melhor recurso no uso das cores. Mas aqui também fica a sugestão magico-cromoterápica de utilizar as cores no ambiente, no vestuário, nos alimentos e nas lâmpadas coloridas. Volto a repetir que tudo vai depender da intenção e do objetivo de cada um. 

Não me aterei somente as sete cores do arco-íris e dos chacras. Falarei de um espectro maior, mas também não abrangerei todas as cores existentes, simplesmente por falta de conhecimento sobre elas. E para encerrar todo este preâmbulo subjetivo, mas importante, não podemos esquecer que o poder das cores é imenso. Tanto é que muito temos de informação da existência de cores para nós desconhecidas, existentes em outros planos e dimensões. Cor é energia! 


Preto – Proteção, aterramento, banimento de energias negativas. Esta cor é como um manto isolante, a energia não passa e não sai, por isso é desaconselhável  estarmos vestindo-a numa sessão de acupuntura, por exemplo, pois a energia não circula. Em contrapartida, é excelente para usarmos quando precisamos de proteção. Dentro da Tradição da Deusa é a cor da sua face Anciã. 


Vermelho
 – Vitalidade, coragem, força, sexualidade, paixão, energia, proteção, removedora de obstáculos. É a face Mãe da Deusa. Uma cor muito positiva dentro da espiritualidade feminina, a cor do nosso sangue menstrual, de nossa força e poder. 

Branco 
– Purificação, saúde, paz, sinceridade, verdade. Cor da face Donzela da Deusa. Considero o branco uma cor também de proteção, pois ela é a reunião de todas as cores,  aqui estamos  na luz. 

Prata- Energia lunar. Magia, proteção da Deusa, dissolve negatividade. 


Dourado
- Energia solar. Sorte, proteção, brilho, sucesso, remove obstáculos. Podemos também associar a cor dourada com uma Deusa Solar, assim como a prata a um Deus Lunar e vice-versa, dependendo da divindade em questão. 

Roxo
- Sorte, sabedoria, austeridade, transformação. 

Lilás
violeta- Transmutação, meditação, espiritualidade, proteção, cura de doenças graves. 

Laranja – Vitalidade, saúde física, força de vontade, estimulação, adaptabilidade, amizade, autoconfiança. Usa-se também esta cor para a energia solar. 


Amarelo – Criatividade, poderes mentais, comunicação, intelecto, persuasão, confiança, mudança. 


Verde – Prosperidade, fertilidade, crescimento, dinheiro, sorte, saúde, emprego. 


Azul claro- Cura, tranquilidade, felicidade, paz, equilíbrio emocional, serenidade, paciência. 


Azul escuro – Mente subconsciente, psiquismo, cura. 


Rosa – Amor, autoestima, verdade, alegria, amor universal e incondicional. 


Marrom
 – Cura de animais, trabalho mágico com animais, o lar. 

Cinza – Neutralidade. 


Por Anna Leão (Favor mencionar fonte e autoria ao reproduzir este texto).