Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2011

O ESCUDO

Embora uma arma de defesa, o escudo sempre foi considerado uma arma de vital importância. Assistimos filmes passados em épocas antigas e, junto com as espadas e machados, notamos a força do escudo. Sim,  precisamos nos defender quando estamos em batalha.
Mas e quando esta batalha é a vida? Quando estamos armados até o topo da cabeça com uma armadura pesada e mais um escudo em nossos braços bem a frente de nosso coração, impedindo que se machuque ou mesmo que se abra?
Não falo aqui só no coração aberto para viver uma relação afetiva, enamorar-se, apaixonar-se. Isto também, mas falo de uma forma mais ampla. Falo do escudo que nos protege de tudo aquilo que no fundo queremos ser e viver. Falo do escudo que nos dá a sensação de uma vida tranquila e segura e da qual temos total controle, mas que não nos permite ousar. Falo do escudo que não nos deixa entrarmos em contato com aquilo que mais tememos em nós, pois achamos que evoluímos,  passamos para um outro patamar, e certos sentimentos n…

Solstício de Verão - Alban Helfin

No Solstício de Verão temos o dia mais longo do ano, e a noite mais curta, marcando o apogeu do Sol, que após o seu ápice, começa a se afastar da Terra, dando início à metade escura do ano. Após o solstício as noites vão começando gradativamente a serem mais longas.

  Este festival marca a plenitude da Deusa e do Deus. Neste momento eles estão no auge de sua paixão e como consequência a Natureza se frutifica.

  A Deusa como Mãe se prepara para nos ofertar a Primeira Colheita. O Deus, adulto e valente, em amor à Deusa se prepara para se sacrificar por Ela retornando ao Submundo. É pelo seu sacrifício que serão colhidos os primeiros grãos no festival seguinte, Lughnasadh . Estes grãos são o símbolo das sementes plantadas no Equinócio da Primavera.

  Este é o paradoxo Universal que permeia toda a existência. O yin contém o yang, o yang contém o yin, e em constante movimento a Vida mostra que contém a semente da Morte, enquanto esta contém a semente da Vida.

   Num ciclo constante o Deus …

Uma fada pousou nas minhas costas...

Uma fada pousou nas minhas costas! Sim! No quadrante direito superior, como vocês podem ver na foto acima.
Há muito tempo eu queria fazer uma tatuagem de fada, mas ia deixando a ideia congelada, até porque eu não queria uma “fadinha qualquer” e nem pequena. Sempre me senti no mundo das fadas, ou do mundo das fadas, vai saber...
Mesmo assim, outras tattoos vieram antes dela, que sabiamente esperou pelo momento certo (ou fui eu quem esperou pelo toque dela?). Sol e lua, serpente e runa já haviam sido entalhadas em minha carne branca e delicada antes da fada.
A dor? Não...Sempre senti um certo prazer pela dor infringida pelas tatuagens. Mas a fada me trouxe uma surpresa. De tão majestosa ela precisou de várias sessões. Precisei usar adesivos anestésicos porque sentia bastante a dor (Ah, e eles funcionam sim!). Acho que o tamanho, o preenchimento com cor e os vários detalhes fizeram da fada a tatuagem mais elaborada que habita meu corpo.
Todo o processo de criação desta tatuagem foi bem…

A MAGIA DE BELTANE

Comemoramos Beltane no dia 31 de outubro ou 1 de novembro, aqui, no Hemisfério Sul, seguindo a Roda do Ano do calendário Celta.

No Hemisfério Norte comemora-se Samhain, que deu origem ao Halloween.
 Beltane é uma época do ano em que o Sol está com mais força trazendo vida e luz para a Terra , que está fértil e plena. É um momento de abundância e prosperidade. É época de celebrar a vida.

Beltane é o ritual mais alegre do calendário Celta. Nele celebramos a paixão, a fertilidade, a Natureza que explode em êxtase. É o momento para acreditarmos e nutrirmos nossos sonhos e objetivos. A fertilidade está no ar. As sementes plantadas  no Equinócio da Primavera germinaram e cresceram.


É época de cuidar e apostar em nossas sementes plantadas, pois o poder da Criação está em seu auge, na união das Forças Criadoras. 

Uma grande tradição  celta de Beltane é acender  fogueiras para afastar as doenças e a negatividade e pedir amor, fertilidade e prosperidade aos Deuses. Podemos substituir a fogueir…

Homem Venusiano

Sentindo a melodia em suas veias Ele vem dançando em meus sonhos Entre vales encantados da minha mente Ele reina majestoso. Corajoso, sincero, peculiar, Ele é o homem venusiano Tentando alcançar seu sonho Vibrando em cada acorde que toca Ele se ausenta dele mesmo E une-se ao todo. Todo poderoso, ele assume a sua essência Me encanta e me canta em seus versos. Me regozijo em ver a força de sua alma Quando meu coração em prantos chama o seu nome em vão. Ele é do mundo E o mundo lhe pertence. Assim como me deleito com seu leite Ele baila comigo num leito de prazer Em êxtase dionisíaco viajamos pelas estrelas E retornamos suados, exaustos e cansados Para mais uma vez nos eclipsarmos.

Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema)


Equinócio da Primavera - O Retorno da Esperança!

Assim como no Equinócio de Outono, no Equinócio da Primavera o dia e noite têm a mesma duração. Momento perfeito para nos equilibrarmos e trabalharmos a união dos opostos.A partir deste dia entramos na metade clara do ano, pois a luz começa a crescer gradativamente e os dias começam a ser mais longos que as noites.

A Primavera é tempo de semear, de plantar sementes e de despertar nossa criança interior. A Deusa é uma linda Donzela. representada por Perséfone , Inanna ou Branwen, por exemplo. O Deus é um jovem viril. A Terra floresce e recebe o calor do sol.As esperanças e o novo crescem neste período do ano. Nos tornamos mais alegres, ativos e leves.

Neste festival os Celtas reverenciam o Deus Cernunnos , novamente a Deusa Brighid e a Deusa Ataegina ( Deusa da primavera, fertilidade e renascimento).

Na Tradição Nórdica o Equinócio da Primavera chama-se Ostara. O mito desta Deusa Anglo-Saxã conta que Ostara era uma linda jovem, cheia de vida. Cantava com os animais e a Natureza sorria…

Felicidade

Como todo domingo, eu acordei tarde e com isso o café da manhã vira almoço; o almoço vira lanche; o lanche, jantar, e este fica pro dia seguinte. Pensei então que não faria o meu lanchinho da tarde habitual e foi quando me dei conta do prazer que tenho com ele. Agora descobri um prazer novo, um doce de leite em barra que encontrei no mercado, tomado com um simples cafezinho que sempre me chama à tarde. Quando pensei que faria esse lanchinho amanhã, me deu uma satisfação tão grande, me senti tão feliz … E comecei a  refletir…
A felicidade é algo tão fácil de se alcançar, pois ela está nas coisas simples da vida. Quanto mais simples é ou está nossa vida, mais feliz estamos. Temos menos preocupações, ou quase nenhuma; e por isso mesmo com mais tempo para       simplesmente sermos, o que traz realmente a felicidade: ser. A partir dessa pequena satisfação fui sentindo que o cotidiano da  minha vida é feliz, e é isso que importa. Isto não é novidade para mim, pois geralmente sinto e agradeç…

A Síndrome Bipolar

Um amigo, muito querido, tem postado em seu espaço na internet frases sobre o que é ser um bipolar.

Como o nosso relacionamento é um tanto o quanto bipolar, ainda não tive a oportunidade de conversar com ele e saber se está se referindo a alguém ou a si próprio. Bem, falando sério, todo este enfoque dado por meu amigo à síndrome bipolar fez-me refletir bastante, o que deu origem a este artigo.

O termo bipolar virou um jargão não só na medicina comportamental, como na boca dos mais modernos. Substituindo o antigo e não tão famoso boderline – da mesma família, isto se não for quase o mesmo distúrbio – o bipolar é o nome da moda. Triste isto!

Em uma das frases meu amigo diz que o bipolar é aquele que muda de estado de ânimo de uma hora para a outra sem motivo aparente. Correto. Esta é a descrição do bipolar. Não sou da área médica, mas sou da área terapêutica. Trabalho e vivencio terapias mais alternativas – por isto, mais holísticas, dentro deste mundo tão compartimentado – e tenho uma esp…

A Eterna Busca

Há alguns anos eu reencontrei um amigo que não via há muito tempo. Depois de algumas conversas, ele me disse que me via sempre numa busca, que parecia que eu estava sempre buscando algo. Eu disse a ele que no dia em que não houvesse mais esta busca, não haveria mais porque existir. Mais recentemente, conversando com outro amigo, esse também me falou de busca; da sua busca pessoal, que ele não sabe do quê, mas que é o que o move incessantemente. Essa busca, a meu ver, é algo constante. Ela significa vida, movimento, evolução. Acredito que ela possa se manifestar em qualquer área de nossas vidas, mas ela vem sempre de dentro, de nosso interior, talvez de nossa alma. Ela é uma pulsação que não cessa. É um chamado que nos leva a um passo a frente. É uma inquietude saudável, que nos dá prazer e a certeza de que estamos vivos. Ela é a promessa de que há bem mais para desbravar, para descobrir, para assimilar. No meu caso, eu me sinto sempre como se estivesse subindo uma escada, ou descendo…

Comunhão

O Sol me aquece com a energia da chama divina Sinto a vida solar pulsando e envolvendo todo o mundo A brisa quente se faz presente e aquece a  minha face gelada Ela toca suavemente o meu rosto e me faz amar Sorrio de prazer e felicidade comungando com os dons divinos Tranquilizo-me quando vejo a água do lago banhada pelos raios solares Me fortaleço ao contemplar a montanha grande e majestosa Me enraizo ao abraçar a árvore robusta que me sustenta com suas firmes raízes fincadas na terra  Seu tronco forte sustenta seus galhos que dançam a céu aberto comungando com as estrelas Equilibrada pela Natureza eu sigo meu caminho Sou feita do Sol e da Lua, do Céu e da Terra.
Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este poema).

Imbolc - O festival da Deusa Brighid

No mês de agosto, aqui no Hemisfério Sul, dentro da Roda do Ano Celta, realizamos o festival Imbolc, também conhecido como Candlemas. Este festejo homenageia a Deusa tríplice do fogo, Brighid, e pode ser celebrado nos dias primeiro ou dois de agosto, ou na lua nova mais próxima destas datas.
Brighid, também conhecida como Brigith ou Brígida, anuncia a chegada da Primavera em breve. Ela é a Deusa do Fogo Sagrado, aquele fogo que inspira e que também aquece os lares, tão bem representado pelas lareiras e pelo fogo que prepara nossos alimentos. É o fogo que nutre, que acolhe, que protege, que inspira.
Além de Deusa dos poetas, músicos e artistas, pois ela é aquela que inspira e dá o dom da criatividade, Brighid também é uma Deusa de cura, das ervas sagradas e das fontes milagrosas - ou mágicas, como queiram.
Brighid é também a padroeira dos noivos e das mulheres grávidas. É a protetora dos ferreiros e artesãos, Deusa da divinação e das profecias.
O festival de  Imbolc marca o meio entre…

Dons

Desenvolver os dons é preciso, é vital! Mas  e quando esses dons já foram desenvolvidos? E quando você quer verter o caldeirão da inspiração e se superar? Será que um dom tem um prazo de validade? Será que ele já teve o seu destino? E quando você precisa desenvolver apenas um dom? E quando você só pode lidar com um único dom? O que te aprisiona? São seus dons mal desenvolvidos? O não reconhecimento deles? A incerteza sobre eles? Ou será a constância tranquila e suave no desenvolvimento de seus dons, enquanto o mundo a sua volta grita:  DEPRESSA 
Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Contemplativa...

Sou uma mulher contemplativa... Me delicio em meus devaneios de onde brota  a minha criatividade Comungo com o nada em uma espécie de meditação Sentindo o prazer de uma vida calma que apenas flui
Gosto de levar uma vida tranquila Comungando com a natureza e suas energias Sentindo o pulsar da vida dentro de meu ser
Com meu olhar vago parece que não estou nem aí Mas estou megulhada no mundo vasto que habita meu ser Não, não, não vivo mergulhada em um mundo de sonhos Apenas tenho o prazer de viver em constante contato comigo mesma
Não tenho necessidade de muito agito, pelo contrário Mas de vez em quando preciso estar na multidão E com disse o poeta, nela eu sou diferente Então aproveito para brilhar, para exalar o calor de uma legítima filha do Sol Mas antes da meia noite volto sabiamente para mim mesma, para a minha vida serena
Respeito os meus ciclos, as minhas estações E com isto me conheço cada vez mais Percebendo que a essência da vida é tão simples Que a felicidade é tão fácil
Nu…

Sintonia

Vou fluindo una com os Deuses A Eles pertenço e faço Deles a minha morada Mas também sou única, pertenço a mim mesma  E exalo o Awen a mim ofertado
Preciso da terra para me enraizar Da mesma forma que preciso do fogo para me acender Sou água, terra, fogo e ar Estou no Céu, na Terra e no Mar
Vivencio cada faísca do Awen sagrado Tornando passado, presente e futuro  momentos consagrados.
Pode parecer insano para aqueles que não conhecem essa magia A minha magia, a magia dos Deuses!

É que sou profunda, inteira e certeira Mas muitas vezes me desmancho em pedaços sortidos de mim mesma Para aos poucos reconstruir-me novamente Como um mosaico recortado ainda não desvelado.
Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Solstício de Inverno

O Solstício de Inverno marca a noite mais longa do ano. A partir daí, a luz no hemisfério sul vai aumentando gradativamente, embora permaneça o frio.
Para os celtas galeses este festival tem uma conotação forte com os mitos de Arhur, e daí seu nome Alban Arthan significar também a Luz de Arthur, numa alusão à Arthur como o guardião do urso, a estrela mais brilhante do Hemisfério Norte. 
No Caminho da Deusa, Ela que em Samhain era Anciã, retorna como Mãe, trazendo em seu ventre, o Deus, a Criança da Promessa. Que simboliza o retorno do Sol e da Luz. O retorno da Deusa, o nascimento do Deus e o retorno da Luz são os pontos focais deste Solstício, embora ainda haja frio e hibernação. Tudo isto sugere que entremos em contato com nossa força interior através da meditação e introspecção, alimentando assim a nossa luz e a nossa criança interior.
Os festejos do Natal Cristão foram inspirados neste festival, que no hemisfério norte se dá por volta de vinte ou vinte e um de dezembro. As cores verd…

Nosso mundo no buraco!

Algo pode ser mais irônico do que no Ano Internacional das Florestas nos depararmos com a  liberação da construção da hidrelétrica de Belo Monte e a aprovação do inconsequente Código Florestal?!
Tenho visto a revolta e indignação de muitas pessoas – me incluo aí – que realmente se preocupam com o meio ambiente, pois compreendem o mundo, a vida e o planeta por uma perspectiva mais ampla. Pessoas que têm consciência de que a Natureza é viva e sente!
Mas o que é um Ano Internacional das Florestas? A mesma coisa do que um Ano do Idoso, onde todos acham que homenageá-los  com um título é o suficiente? Pois é isso o  que vejo cada vez mais, a pseudo-preocupação , apenas aparente.
Isso não se dá só com as autoridades não, é com todo mundo. As pessoas querem estar na moda e se dizem antenadas com as causas ambientais e sociais. É feio não ligar para isso, então muita gente finge que liga, assim como finge que não tem preconceito de raça, sexo, idade, e por aí vai.
As autoridades, os governan…

Deusas e Deuses

"Muitos crêem que os humanos criaram as divindades, e que podem desfazê-las novamente; mas nós, que as vimos passar com seus arreios tilintantes e trajando túnicas suaves, nós que ouvimos suas vozes articuladas enquanto permanecíamos como que em transe mortal, sabemos que eles estão constantemente criando e desfazendo a humanidade". William Butler Yeats,  em Rosa Alchemica.
Falar dos Deuses e Deusas é bastante complexo, não tão fácil quanto possa parecer. Muitos acham que Eles vivem em outras dimensões, outros  que vieram das estrelas, podem ser nossos ancestrais;  há os que pensam que são apenas meros arquétipos, símbolos de energias; e ainda há os que não acreditam Neles, vendo–Os apenas como lendas folclóricas sem fundamento algum. Esta última hipótese está completamente fora de questão, vide as palavras de Yeats no início deste texto. Quanto ao fato de serem apenas energias e arquétipos, embora alguns pagãos Os vejam assim, não concordo e acho que esta visão esta mais pa…

Fàilte Samhain!

O Inverno anuncia seus primeiros ventos É tempo de acolhimento É tempo de centramento
Homenageamos os Ancestrais Saudando a Sabedoria

Dançamos com a sombra
Promovendo a cura
A Deusa Anciã nos dá  boas vindas Iniciando-nos em mais uma jornada
Jornada profunda Jornada de busca Jornada de mistérios
Morte e Vida se misturam Cruzando a fronteira
É época de reciclagem É época de Samhain!
Fàilte!
Anna Leão. Todos os direitos reservados.

Manannan Mac Lir - Através das Brumas

Cavalgando as ondas em seu corcel, ou navegando-as em seu  barco está Manannan Mac Lir, filho de Lir, o Mar. Manannan é a divindade marítima mais cultuada pelos celtas, Ele é um Deus ancestral. Seu reino fica além das ondas, nas profundezas das águas salgadas. Seu reino está no Outro Mundo.

Mas Manannan é um grande viajante e está sempre fazendo contato com os mortais em suas viajens. Com a grande habilidade de mudar de forma, ele muito se disfarça em belos guerreiros humanos. Sim, belo ele é, guerreiro também, mas humano não, pois ele é o Deus todo poderoso do Mar e do Outro Mundo. Guia os navegantes pela superfície das águas e também em suas profundezas quando o viajante está num imram (jornada ao Outro Mundo) para descobrir mais sobre si mesmo e sobre os mistérios da vida(e da morte). Manannan também recebe as almas que chegam ao Outro Mundo, também conhecido com diversos nomes como Terra da Juventude, Terra das Macieiras, Terra da Promessa. Na crença Celta é para lá que vamos quand…