DESPERTE SUA CRIANÇA INTERIOR!


Já faz alguns anos, um amigo me disse: "Anna, você fala das coisas com tanto entusiasmo que contagia a gente!"

Bom ouvir isso e, melhor ainda, é relembrar disso para não ter medo desse entusiasmo.

Vou explicar: as pessoas são tão exigidas, vivemos sob tanta pressão, que muitas vezes vamos perdendo características próprias sem percebermos. Características, essas, positivas, importantes para nós, que fazem parte da nossa autenticidade.

O entusiasmo é inerente à criança. Você já reparou como elas são entusiasmadas? Cada descoberta é vivida com tanto entusiasmo!

Temos nossa criança interior e não devemos negligenciá-la, nem sufocá-la. Isso adoece a gente, de uma forma ou de outra, mais cedo ou mais tarde.

Lembro-me também de outro amigo, que na mesma época do primeiro, me falou sobre a minha criança interior. Ele observou como ela era presente e forte em mim. Tudo a ver com o entusiasmo contagiante que eu passava para os outros...

Mais recentemente, este ano mesmo, foi a vez de uma amiga falar sobre a minha criança. Ela a viu. Fiquei tão feliz! É sinal de que ela está ressurgindo junto com o entusiasmo que ela traz.

Percebo que tenho um "espírito jovem" como se diz por aí. Sou jovial e acho que assim sempre serei, desde que esteja fiel a mim mesma. Não tenho porque ser séria demais, nem entrar no vício do stress.

Para quem não sabe, maturidade e responsabilidade nada têm a ver com estes quesitos. Quem perdeu o contato com sua criança interior que fique aí criticando os outros e sendo mal-humorado.

Eu sou lúdica, mágica, rebelde, entusiasmada, criança! FELIZ EM SER EU MESMA!

Não vou me deixar levar por quem acha que sabe mais de mim do que eu mesma. Isso não existe!

Escrevo este texto num bistrô enquanto espero minha filha Lolita no balé (sim, raramente escrevo direto no computador). Aqui está tocando Cazuza, Cássia Eller. Ouvindo-os, penso em quanto eram entusiasmados, o quanto expressavam suas crianças...

Quebremos nossas armaduras, impostas pelos outros ou por nós mesmos, libertemos nossa criança e nos façamos respeitar com ela viva dentro de nós.

Não é porque nossa criança está desperta, que seremos ingênuos, incompetentes ou menos sábios. Muito pelo contrário, a criança tem uma sabedoria nata, aquilo que vem do fundo do coração e, depois, a vida nos ensina com as experiências que nos dá.

É perfeitamente possível conjugar maturidade com jovialidade, responsabilidade com entusiasmo, a objetividade com o lúdico, a realidade com a magia.

Deixe sua criança sorrir para você e para a vida e aprenda a se entusiasmar com ela!



Anna Leão (Favor mencionar autoria e fonte ao reproduzir este texto).


Comentários

LYDIAH disse…
P E R F E I T O!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Beijos agradecidos,
Lydiah.
ANNA LEÃO disse…
BEIJOOOOOO, LYDIAH QUERIDA!!!!

ANNA