Solstício de Inverno


O Solstício de Inverno marca a noite mais longa do ano. A partir daí, a luz no hemisfério sul vai aumentando gradativamente, embora permaneça o frio.

Para os celtas galeses este festival tem uma conotação forte com os mitos de Arhur, e daí seu nome Alban Arthan significar também a Luz de Arthur, numa alusão à Arthur como o guardião do urso, a estrela mais brilhante do Hemisfério Norte. 

No Caminho da Deusa, Ela que em Samhain era Anciã, retorna como Mãe, trazendo em seu ventre, o Deus, a Criança da Promessa. Que simboliza o retorno do Sol e da Luz. O retorno da Deusa, o nascimento do Deus e o retorno da Luz são os pontos focais deste Solstício, embora ainda haja frio e hibernação. Tudo isto sugere que entremos em contato com nossa força interior através da meditação e introspecção, alimentando assim a nossa luz e a nossa criança interior.

Os festejos do Natal Cristão foram inspirados neste festival, que no hemisfério norte se dá por volta de vinte ou vinte e um de dezembro. As cores verde, vermelha e dourado e a árvore de natal (o pinheiro era associado à Deusa) são alguns exemplos dos símbolos desta festividade pagã que foram absorvidos pela data Cristã.

A comemoração do nascimento de Jesus já foi feita em diversos meses, sendo fixada em dezembro a partir de 320 d. C., devido à semelhança da essência do Solstício de Inverno com o nascimento de Cristo.

Além dos Celtas e dos Cristãos, outras Tradições já celebravam o nascimento da Criança da Promessa no Solstício de Inverno. 

O Solstício de Inverno é um período de esperança, pois junto com a Criança da Promessa, que traz calor e fertilidade para a terra e para a nossa vida, renascem as nossas esperanças.É um momento para nos conectarmos com nossa criança interior, de nos rejuvenescermos trazendo a luz e a alegria para os nossos corações.

Solstício de Inverno

A morte nutre a vida
A escuridão termina
A luz se aproxima
E a dor é compreendida
Do luto, a esperança
A vida como promessa
 Sentindo no coração
A chama que aquece
A roda da vida continua a girar
Trazendo  a alegria que libertará
Do musgo, a flor
Do medo, o amor
Tudo em seu tempo
A natureza se recicla
Trazendo mais uma vez
A criança renascida
É tempo de amar
É tempo de aceitar
O sol brilhará
A vida vencerá!

Anna Leão. Todos os direitos reservados. 





Comentários

Anna Leão disse…
Obrigada, Yara! Seja bem vinda! Beijos